Professores da UFG realizam consulta eletrônica para votar greve

Medida foi adotada por sindicato após conflito entre alunos e docentes, na assembleia da última quarta. Expectativa é para que categoria vote contra paralisação

Divulgação/Adufg

Divulgação/Adufg

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg) realiza até às 18 horas desta sexta-feira (11/11) uma consulta eletrônica para votar o indicativo de greve da categoria. A decisão foi motivada após desentendimento entre professores e estudantes na última assembleia de docentes na quarta-feira (9).

O resultado do plebiscito será divulgado na manhã deste sábado (19). De acordo com informações da Adufg, a consulta eletrônica está sendo supervisionada por autoridade competente do Superior Tribunal Eleitoral. Os professores podem votar a favor ou contra a greve no endereço eletrônico do sindicato ou ainda por meio de urnas instaladas na sede administrativa da associação.

Segundo o presidente do sindicato, o professor Flávio Alves da Silva, não há possibilidade de realizar uma nova assembleia “por conta da falta de segurança na universidade”.  O professor adianta que a tendência é que a greve não seja aprovada. “Em consulta informal no site do sindicato, observamos que 80% dos professores não são favoráveis a greve.”

Flávio Alves estima, ainda, que, na última assembleia, apenas 200 dos 700 professores presentes votariam pela paralisação por tempo indeterminado. “Quando os estudantes que invadiram a assembleia perceberam que a Adufg não aprovaria essa paralisação, eles partiram para a agressão verbal e física. Eu fui empurrado em uma escada e tive o meu carro depredado, com pneus furados e outros danos”, contou

A categoria é contra a Proposta de Emenda a Constituição (PEC) 55/241 que congela os gastos públicos por 20 anos, em tramitação no Senado Federal. Nesta sexta, os professores já estão em paralisação contra as medidas do governo.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.