Produtos da Páscoa registram alta de 83% em comparação a março de 2021

Especialista aponta que guerra na Ucrânia pode ser um dos motivos pela alta nos preços das mercadorias neste ano

Os itens tradicionais de Páscoa registram uma alta de 83% acumulada nos últimos 12 meses. De acordo com índices de inflação, foram registrados que diversos itens, como o peixe, chocolate e o açúcar, tiveram um aumento na média. O bacalhau está com uma alta de 6,26% nos preços, enquanto o chocolate registrou um aumento médio de 10,74%. Já o açúcar refinado teve variação de 43,77% no valor. Além disso, componentes como leite, ovos, parafina, produtos de embalagem sofreram influências tanto no mercado interno quanto no externo, que gera uma transferência de custo de produção para o consumidor final.

Segundo o economista José Valmir Pedro, o crescimento está relacionado com o atual cenário econômico, sendo que a guerra na Ucrânia é o principal direcionador na alta dos preços. Isto porque o conflito desencadeou forte crise nos transportes, como nos combustíveis, e na agricultura (adubos e demais insumos). Além de atingir também as plantações de cacau, que teve alta de 7,1%. Para o especialista, a economia brasileira ainda não conseguiu ajustar frente a todos os problemas que vêm acontecendo, o que não permite a reabilitação econômica.

“Esta elevação de preços atingiu diversos componentes na economia como produtos do agronegócio (açúcar, carnes, alimentos em geral), aço e muitos outros e produtos derivados do petróleo, que é a principal força motriz do nosso modal rodoviário. Internamente, apesar do crescimento, nossa economia ainda não conseguiu ajustar-se frente a todos os problemas que têm acontecido e que vem desde heranças de governos anteriores até a pandemia e a guerra na Ucrânia”, avalia o economista. Além da alta de valores, uma variação entre os preços também acomete os itens de Páscoa. Em Goiânia, o Procon havia apontado uma variação de quase 150% em produtos para Páscoa. Entre os dias 28 de março e 1° de abril, foi verificado os valores de 38 itens da festividade. Nisso, foi registrado que o preço dos ovos de chocolate variaram em até 56,37%; caixa de bombons apresentaram diferença de 43,49% e barras de chocolate, 149,75%.

Dicas

Substituir produtos e a pesquisa de preços são alternativas apontadas pelo professor da Estácio. “Muita coisa aconteceu e o preço de produtos tradicionais se tornaram extremamente ‘salgados’ em plena época de doçura, então nos resta pesquisar antes de comprar, tanto no comércio físico quanto virtual. Recomendo também os produtos substitutos como, por exemplo, a barra de chocolate no lugar do ovo de Páscoa, pois um ovo de 200 ou 300 gramas está custando em média R$ 43,90, quase no mesmo preço que uma barra de 1kg de chocolate (R$41,00 em média)”, disse José Valmir.

Já sobre as variações de valores, o órgão municipal orienta que os consumidores comparem os preços praticados por diferentes estabelecimentos, levando em consideração qualidade e peso do item. A substituição também é apontada pelo Procon como uma forma de alternativa para quem está com o orçamento apertado, sendo importante verificar o preço e qual produto encaixa no bolso do consumidor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.