Proposta de 2009, do ex-deputado Ernandes Amorim, foi relatada com parecer pela admissibilidade pelo congressista Valtenir Pereira

Haroldo Naves | Foto: Reprodução

Ao Jornal Opção, o presidente da Federação Goiana de Municípios (FGM), Haroldo Naves, afirmou que, no próximo dia 28, a FGM conclamará todos os prefeitos e vereadores do Estado, a conversar com os 17 deputados federais e três senadores de Goiás. A pauta é o apoio ao projeto de unificação das eleições do Brasil.

A proposta de 2009, do ex-deputado Ernandes Amorim, foi relatada com parecer pela admissibilidade pelo congressista Valtenir Pereira (MDB-MT). Haroldo explica que, como os parlamentares não podem legislar em causa própria, essa regra iria prorrogar o mandato dos prefeitos e deputados atuais.

“Entendemos que unificar as eleições, impedir a reeleição de cargos do Executivo e passar o mandato para cinco anos, que pode ser um avanço, vai diminuir os custos”. Segundo Naves, conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o valor economizado seria de R$ 4 bi já na próxima eleição.

Isso, segundo ele, porque não está computado o transporte que os municípios fazem para os eleitores, além de diária de motorista, comida para os mesários, energia dos prédios públicos, limpeza, água… “Na ponta da caneta seriam mais R$ 6 bi”, estima o presidente da FGM.

Benefícios

Com a unificação, Naves afirma que, além da economia de recursos, o gestor pode planejar melhor o mandato. “O prefeito em quatro anos disputa três eleições: a de prefeito; a de deputados, governadores e presidente; e a reeleição ou de apresentação de candidatos”.

“Para o próximo dia 28 estamos conclamando todos os prefeitos e vereadores do Estado para conversar com os 17 deputados federais e os três senadores de Goiás para mostrar que são favoráveis. Esse movimento acontecerá em todo o País para levarmos, no dia 5 de junho, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), mais de 308 votos necessários para colocar essa Proposta de Emenda Constitucional em votação e aprová-la”.