Presidente da Câmara Municipal de Inhumas preso por tráfico de drogas deixa prisão

De acordo com investigação conduzida pelo delegado Humberto Teófilo, vereador e seu assessor vendiam e usavam ecstasy. Eles foram flagrados em conversas de WhatsApp

O vereador Gleiton Luiz Roque (Tumate – PTB), presidente da Câmara Municipal de Inhumas, preso há pouco mais de uma semana pela prática do crime de tráfico de drogas deixou a prisão nesta quinta-feira (9/11) após liminar do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO).

De acordo com decisão do desembargador Luiz Cláudio Veiga Braga, não há necessidade de manter o vereador preso, já que ele não poderá influenciar nas investigações.

Durante a 3ª fase da Operação Assepsia, a Polícia Civil também cumpriu mandado de busca e apreensão e de prisão contra o assessor de comunicação do Legislativo municipal, Carlos Alberto de Oliveira Filho, pelo mesmo crime.

A investigação, conduzida pelo delegado Humberto Teófilo, apurou que o vereador e seu assessor vendiam e usavam ecstasy. Eles foram flagrados em conversas de WhatsApp.

Na casa do assessor, a polícia encontrou uma arma de fogo com numeração raspada, uma balança de precisão, porções de maconha e diversas embalagens vazias para colocar ecstasy. Carlos foi preso em flagrante por tráfico de drogas e posse de arma de fogo de uso restrito. Segundo a polícia, ele tem diversas passagens pela polícia e já foi condenado a cumprir 5 anos e 4 meses de prisão pelo crime de roubo a estabelecimento comercial.

O inquérito policial também aponta indícios de que outro vereador da cidade apenas fazia uso dos entorpecentes com os investigados, motivo pelo qual não foi requerida sua prisão. A Justiça também proibiu a visita dele a Tumate enquanto este estiver preso e determinou que os presos fiquem em celas separadas.

O presidente da Câmara já estava afastado do mandato desde o último dia 23 de outubro por suspeita de envolvimento em organização criminosa que fraudava licitações no âmbito do Legislativo municipal.

Deixe um comentário