Presidente da Assembleia ameaça cortar o ponto de deputados faltosos

A ameaça foi feita pelo fato de poucos comparecerem as sessões plenárias ou ainda se comparecem, registram presença, mas não votam e nem participam das discussões

Presidente da Assembleia durante a sessão híbrida | Foto: Maykon Cardoso

A sessão ordinária híbrida da Assembleia Legislativa de Goiás, desta quarta-feira, 7, começou com uma certa calma, porém a dificuldade de votação das matérias por falta de quórum começou a irritar alguns parlamentares. Assim, um dos decanos da Casa, o deputado Avaro Guimarães (DEM), que estava presente virtualmente reclamou que a falta dos colegas parlamentares está prejudicando o andamento da Assembleia. “O presidente diminui o número de sessões semanais de tres para duas sessões, ficamos pouco mais de duas horas em discussão e votação dos projetos, podemos participar virtualmente e ainda assim muitos registram a presença e não participam de nada”, argumento ele. Alvaro solicitou ao presidente Lissauer Vieira que se continuar dessa forma, que volte a ter três sessões semanais. “É chato a imprensa e a população saber que o deputado perdeu parte do salário porque não compareceu à Assembleia. Na campanha se propuseram a trabalhar pela população”, disse depois de sugerir o corte de ponto de quem não comparece.

Logo após a fala do deputado Alvaro Guimarães, o presidente da Assembleia, o deputado estadual Lissauer Vieira (PSB), ressaltou que é triste e constrangedor o que está acontecendo. “Pedimos encarecidamente para fazermos uma força-tarefa, um esforço maior as terças e quartas, mas está aí pouco mais de 20 votos e temos mais de 30 registros de presença. Só tem um jeito deputado Álvaro, voltamos a fazer sessões também nas quinta-feiras ou vamos cortar o ponto. Porque não existe outra saída, já vimos que o diálogo parece que não resolve”, enfatizou.

Sem citar nomes, Lissauer explicou o fato de que muitos deputados são candidatos ou apoiam candidatos no interior, mas que isso não é motivo para falta, uma vez que a sessão ocupa pouco mais de duas horas por dia e ainda assim, é possível participar de forma  remota. “Está na consciência e responsabilidade de cada um, acho que nós fomos eleitos para participar das sessões e para votar as matérias necessárias, seja de parlamentares ou que seja do governo do Estado. Sem a presença não podemos dar sequência ao trabalho e isso nos envergonha”, lamentou.

O deputado estadual Amauri Ribeiro (Patriota) reclamou também que a falta dos colegas deputados impede o trabalho das Comissões. Segundo ele só estão funcionando a do Turismo, comissão Mista e a de Constituição e Justiça. A de Agricultura e de Educação não andam. “É uma vergonha temos nesta Casa 41 deputados, mais de 30 registraram presença e custamos a ter o quórum de 21 deputados para votação. Temos um salário de mais de R$ 25 mil, podemos trabalhar duas vezes na semana e muitos podem ficar em casa. Sem o quórum todos são prejudicados e sou a favor de corte de ponto para deputado faltoso”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.