“População merece saber a verdade”, diz líder do Governo sobre déficit no orçamento de 2020

Lei Orçamentária Anual, protocolada na Casa na quarta-feira, 2, apresentou um déficit de R$ 3,59 bilhões para 2020

Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

O líder da base governista na Assembleia Legislativa, Bruno Peixoto (MDB), vê no Orçamento apresentado para 2020 pelo governo um sinal de transparência. Para ele, ao indicar já na Lei Orçamentária Anual, protocolada na Casa na quarta-feira, 2, um déficit de R$ 3,59 bilhões indica a intenção do governo não só de cumprir a lei, como em mostrar para a população a situação fiscal do Estado.

Bruno Peixoto diz que a gestão anterior apresentava um orçamento fora da realidade, escondendo da população os números do Estado. “A população merece sempre saber a verdade e mostramos a realidade mesmo que possa trazer constrangimento para a própria base que pertencia ao governo anterior e não sabia”, afirma.

Para o próximo ano, o Executivo orça receita no valor global de R$ 29.3 bilhões.

Do total orçado, R$ 28 bilhões serão para o orçamento fiscal e R$ 1 bilhão de empresas estatais. Além disso, R$ 16,6 bilhões são receitas desvinculadas. Para as emendas impositivas ficou acordado ainda no início do ano 0.7%.

Secretariado

O deputado avalia que Lúcia Vânia (sem partido) assume a Secretaria de Desenvolvimento Social em um contexto de enxugamento da máquina pública e busca de novas formas de desenvolvimento. “Lucia Vânia foi senadora, deputada federal, é grande articuladora no cenário nacional. Não tenho dúvida nenhuma que ela se adequará a essa gestão, moderna e eficiente”, diz.

Marcos Cabral, que ocupava a pasta que será assumida na sexta, 4, pela ex-senadora, vai para a Companhia de Desenvolvimento de Goiás (Codego), o que, na avaliação de Bruno Peixoto, representa uma missão importante. Cabral assumirá a companhia para implantar polos industriais pelo estado.  “O governador tem total confiança nele. O maior programa social do governo será o de geração de emprego e desenvolvimento e renda para os municípios”,

“Estamos levando Pedro Salles que vai dinamizar a Goinfra. Em relação ao Enio, que estava desempenhando um bom trabalho lá, está indo para a Goiás Parcerias, onde vai envolver a busca na iniciativa privada para gerar emprego e renda, que é o grande objetivo deste governo”, arremata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.