Polícia suspeita que obras licitadas em Edealina teriam sido realizadas pela própria prefeitura

Caso os crimes sejam comprovados, os envolvidos responderão por falsidade ideológica, associação criminosa e fraude em licitação

Foto: PCGO

O delegado de Polícia Civil, Cleybio Januário, responsável por conduzir os trabalhos da Operação Convite Premiado, deflagrada na manhã desta terça-feira, 10, conversou com o Jornal Opção e assegurou que todos os mandados de busca e apreensão e prisão foram cumpridos com sucesso.

“Realizamos a apreensão de todos os documentos necessários para a condução das investigações. Ainda não temos a informação de como tudo foi feito e quais valores foram movimentados, mas vamos apurar com base nos depoimentos e o material apreendido como tudo era feito”, disse o titular.

Os quatro presos estão sendo ouvidos, neste momento, na sede de delegacia de polícia. Segundo Januário, a Polícia Civil chegou até eles por meio de uma denúncia anônima registrada por “uma pessoa que estava realizando uma obra a mando do então prefeito do município”.

O delegado disse que o denunciante revelou que no decorrer da obra o prefeito pediu que fosse realizada uma licitação, com indícios de fraude, para simular a legalidade dos pagamentos. “Em face disso, investigamos vários contratos e, de fato, há fortes indícios”, completou. Segundo o titular há, inclusive, a suspeita de que algumas obras atribuídas a empresa vencedora da licitação tenham sido realizadas pela própria prefeitura.

Caso os crimes sejam comprovados, os envolvidos responderão por falsidade ideológica, associação criminosa e fraude em licitação. “Estamos demonstrando, com isso, que mesmo depois de muitos anos podemos chegar àqueles que cometeram irregularidades no passado. Espero que este caso sirva de alerta não só para os atuais gestores mas também para os futuros”, pontuou o delegado.

Entenda 

Conforme mostrado pelo Jornal Opção a Polícia Civil, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap), deflagrou esta manhã a operação “Convite Premiado” com objetivo de cumprir 14 mandados de busca e apreensão e quadro mandados de prisão.

Os mandados foram cumpridos nas cidades de Edéia e Edealina, locais onde residem servidores públicos e empresários que venceram várias licitações realizadas pela prefeitura de Edealina, nos anos de 2014 e 2015.

As investigações apontam indícios de que apenas duas empresas ganharam mais de dez licitações, todas na modalidade convite e que os procedimentos foram fraudados a fim de que estas fossem sempre as vencedoras dos certames. Foi deferido, ainda, o bloqueio de aproximadamente R$ 500 mil das contas dos investigados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.