Polícia prende suspeito de matar 9 pessoas em igreja de comunidade negra nos EUA

Polícia já abriu uma investigação para apurar se o crime foi de ódio racial. Foto no Facebook de Dylann mostra o suspeito usando uma jaqueta com bandeira do apartheid

Foto: divulgação

Foto: divulgação

 

A polícia prendeu nesta quinta-feira (18) Dylann Storm Roof, 21 anos, suspeito de ter matado nove pessoas em uma igreja histórica de comunidade negra na Carolina do Sul, Estados Unidos da América (EUA). Oito das vítimas morreram na igreja Metodista Episcopal Africana Emanuel, e um teve atendimento médico, mas não resistiu.

O suspeito foi preso em Shelby, Carolina do Norte, a 320 quilômetros do local, cerca de 14 horas após o crime, que ocorreu na última quarta-feira (17). A polícia já abriu uma investigação para apurar se o crime foi de ódio racial.  A foto de perfil do Facebook de Dylann mostra o suspeito usando uma jaqueta com a bandeira do apartheid na África do Sul e outra bandeira de um regime de supremacia branca na Rodésia, atualmente Zimbaué.

“A única razão que pode levar alguém a entrar em uma igreja e matar pessoas rezando é o ódio. É um crime totalmente incompreensível. Mas vamos levar essa pessoa à Justiça o mais rápido possível”, disse o o chefe da polícia da cidade, Gregory Mullen.

A igreja onde houve o ataque foi fundada em 1816. Entre os mortos, está o senador e pastor Clementa Pinckney, que era negro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.