Vereadores denunciaram que, apesar de receber repasses do Governo Federal, pacientes do SUS não têm assistência odontológica na capital

Sede da Dercap em Goiânia | Foto: Larissa Quixabeira / Jornal Opção

O problema na área da Saúde em Goiânia virou caso de polícia. A Delegacia de Repressão a Crimes contra a Administração Pública (Dercap) abriu inquérito policial para investigar possíveis crimes na suspensão do atendimento odontológico nas unidades de Saúde da capital.

Segundo o titular da delegacia, André Bottesini, a polícia vai apurar se houve omissão da administração no caso. “Vamos verificar se houve omissão, já que segundo informações preliminares, a Prefeitura finalizou todo o processo licitatório; mas queremos verificar o porquê dessa demora e saber se houve danos ao munícipe e ao patrimônio público”, explicou o delegado.

O inquérito foi aberto a partir de denúncia dos vereadores que integram a Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga irregularidades no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Segundo os vereadores, o atendimento odontológico em Goiânia está suspenso há vários meses, mesmo diante da normalidade do repasse do Ministério da Saúde, que envia R$ 200 mil ao mês para a prefeitura realizar o serviço.

Na última segunda-feira (5/12), o colegiado aprovou requerimento que pede o afastamento imediato da Secretária de Saúde do prefeito Iris Rezende (PMDB), Fátima Mrue. Deve ser ouvida pela CEI na tarde desta terça-feira (5/12)a gerente de Saúde Bucal do Município, Ana Paula Nomelini Marques da Silva Vianna, sobre a suspensão do atendimento odontológico e a demora na compra de insumos já autorizada em licitação.