Polícia abre inquérito para investigar falta de atendimento odontológico em Goiânia

Vereadores denunciaram que, apesar de receber repasses do Governo Federal, pacientes do SUS não têm assistência odontológica na capital

Sede da Dercap em Goiânia | Foto: Larissa Quixabeira / Jornal Opção

O problema na área da Saúde em Goiânia virou caso de polícia. A Delegacia de Repressão a Crimes contra a Administração Pública (Dercap) abriu inquérito policial para investigar possíveis crimes na suspensão do atendimento odontológico nas unidades de Saúde da capital.

Segundo o titular da delegacia, André Bottesini, a polícia vai apurar se houve omissão da administração no caso. “Vamos verificar se houve omissão, já que segundo informações preliminares, a Prefeitura finalizou todo o processo licitatório; mas queremos verificar o porquê dessa demora e saber se houve danos ao munícipe e ao patrimônio público”, explicou o delegado.

O inquérito foi aberto a partir de denúncia dos vereadores que integram a Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga irregularidades no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Segundo os vereadores, o atendimento odontológico em Goiânia está suspenso há vários meses, mesmo diante da normalidade do repasse do Ministério da Saúde, que envia R$ 200 mil ao mês para a prefeitura realizar o serviço.

Na última segunda-feira (5/12), o colegiado aprovou requerimento que pede o afastamento imediato da Secretária de Saúde do prefeito Iris Rezende (PMDB), Fátima Mrue. Deve ser ouvida pela CEI na tarde desta terça-feira (5/12)a gerente de Saúde Bucal do Município, Ana Paula Nomelini Marques da Silva Vianna, sobre a suspensão do atendimento odontológico e a demora na compra de insumos já autorizada em licitação.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.