Para o presidente da Câmara, gestão municipal dispõe de muitos servidores mas falta planejamento

Foto: Fábio Costa/Jornal Opção

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, vereador Romário Policarpo (PROS), comentou a questão da reivindicação de aumentos salariais para as diversas categorias de trabalhadores da Prefeitura de Goiânia.

“Fizemos uma reunião com praticamente todos os sindicatos que compõe a base dos servidores públicos da capital. Eles demonstraram preocupação às outras categorias que também necessitam de aumento”, disse Policarpo se referindo ao projeto enviado pelo Paço propondo aumento de até 400% para procuradores e auditores do município. Após polêmica envolvendo outras categorias, o projeto foi retirado.

Segundo Policarpo, a ideia da Casa é votar sim ao aumento para os auditores e procuradores porque eles também têm direito ao aumento. “Mas nesse momento a Câmara Municipal se posiciona a favor dos sindicatos para que possa ser debatido um reajuste para todos os servidores da prefeitura”, argumentou.

“Nós temos hoje quase 15 mil servidores municipais que recebem complemento de salário mínimo ou até o salário mínimo. Ou seja, estamos falando de uma prefeitura que tem de 20% a 30% dos seus funcionários que ganham de salários muito baixos.”

O presidente da Câmara defende a reformulação de todas as carreiras da prefeitura e redução do quadro de funcionários, com a diminuição de concursos. “Precisamos trabalhar com o pessoal que a prefeitura já tem e buscar melhorar os salários para potencializar os serviços prestados. Nós estamos falando de uma capital com 1,5 milhão de habitantes e 50 mil funcionários públicos. Enquanto Salvador, por exemplo, com uma população duas vezes maior funciona com 30 mil funcionários públicos”.

Para Policarpo, falta também organização na distribuição de servidores na capital. “Falta contratar professores, auditores fiscais, fiscais de postura. No geral, a prefeitura está bem servida de funcionários públicos, o que falta é uma melhor divisão e um planejamento melhor das metas que esses funcionários têm que cumprir”, defendeu.

“Em cada secretaria, o funcionário hoje trabalha de uma forma. A prefeitura não consegue se organizar para trabalhar em conjunto, talvez por isso tenham recebido essa recomendação do TCE por mais funcionários. Mas na verdade o que falta é planejamento”, frisou Romário ao destacar que a Câmara já iniciou um diálogo com o prefeito de Goiânia Iris Rezende (MDB) sobre o assunto.

“Existe um diálogo bem avançado com o prefeito. É o intuito dele também realizar a reformulação de todos os planos de carreira dos servidores. Já conversei com ele sobre assunto algumas vezes e acredito que isso será feito na atual gestão”, finalizou Policarpo.