PMDB goiano estabelece novo prazo a petistas sobre aliança local

Delegados peemedebistas se reuniram pela manhã para deliberar sobre os 35 votos que a legenda em Goiás possui para votação sobre continuidade ou não de aliança nacional com o PT

samuel belchior foto marcello dantas DESTQUE

Deputado Samuel Blechior, presidente do PMDB de Goiás | Foto: Marcello Dantas/Jornal Opção

O PT terá até o próximo dia 8 para se definir quanto ao apoio ao PMDB goiano nas próximas eleições para governador. O novo prazo foi estabelecido de forma unânime pelos 20 delegados peemedebistas que compareceram à reunião na manhã desta segunda-feira (2/6) com o presidente estadual da sigla, deputado Samuel Blechior. Em entrevista ao Jornal Opção Online Samuel Belchior ressaltou que no dia 9 ocorrerá uma reunião com os representantes do PT para deliberar sobre o apoio, sendo que no dia 10 o PMDB de Goiás votará em bloco pela continuidade ou não da aliança entre as duas legendas em âmbito nacional.

A sigla tem direito a 35 votos, pois possui 23 delegados e alguns deles têm direito a até quatro votos, caso da deputada federal Iris de Araújo (que além de deputada federal, é delegada e membro das executivas local e nacional). Também têm direito a mais de um voto o prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela, e os deputados federais Sandro Mabel, Pedro Chaves e Leandro Vilela.

Para apoiar o PMDB, o PT terá de abrir mão da candidatura própria ao governo. Neste caso o pré-candidato Antônio Gomide seria realocado para a vice ou senatoria da chapa a ser encabeçada por um peemedebista, cujo nome está por definir desde os recuos de Iris Rezende e Júnior Friboi. Os petistas goianos têm reiterado que não voltam atrás neste sentido e que o prazo para definição se extinguiu assim que o partido decidiu pela pré-candidatura própria e Gomide se desincompatibilizou.

Diante das indefinições internas do PMDB, começou a ser cogitada uma situação inversa na qual a legenda apoiaria o nome petista. A possibilidade, de acordo com Samuel Blechior, não existe. “O PMDB vai ter nome, temos nomes sobrando”, enfatiza o presidente do partido.

Samuel Blechior não soube responder com exatidão qual o peso dos votos do PMDB goiano no processo nacional. “Sabemos que há insatisfação em muitos Estados, mas quero ressaltar que nosso interesse não é votar contra”, pondera.

Nesta tarde o PMDB se reúne novamente, para dar continuidade às discussões iniciadas na última segunda-feira (26/5). Samuel Blechior disse esperar que o diálogo seja mais proveitoso. “Vamos aprofundar nesse processo de afunilamento e sairemos dessa conversa com um norte a seguir”, diz.

Sobre o adiantamento da convenção para o dia 15, o presidente disse que será adotada a vontade da maioria. Samuel Blechior analisa que esta data realmente deverá ser antecipada tendo em vista o curto espaço de tempo que o futuro candidato terá de atuação e formatação das chapas majoritária e proporcional.

Antes de entrevistar o presidente do partido a reportagem ouviu o ex-deputado José Nelto, articulador da ala irista que após recuo de Iris Rezende começou a se mostrar favorável ao nome de Júnior Friboi com o ex-prefeito na majoritária como candidato ao Senado. O peemedebista tratou de um terceiro nome no caso das negativas do ex-prefeito e do empresário que estaria com conversações avançadas. José Nelto não quis revelar a identidade do possível cabeça de chapa. Perguntado sobre a possibilidade de nome, Samuel Blechior disse acreditar que esta movimentação não exista de fato.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mario Borges

O Jornal Opçao sempre foi muito claro, agora quero ver o seguinte , qual o nome do candidato do PMDB que pode substituir Iris Rezende e Junior Friboi ??? este Samuel Belchior não sabe o que fala , o que vai acontecer e o PMDB pedir para ter um vice na Chapa do PT , Tendo o Gomide como Candidato e qualquer um do PMDB com vice, isto é uma vergonha diria o grande Boris Casoy.