O policial Paulo Antônio de Souza Júnior, condenado por matar o estudante Roberto Campos da Silva, de 16 anos, mais conhecido como Robertinho, fugiu de uma unidade militar onde trabalhava para a remissão da pena. Segundo a Polícia Militar (PM), a fuga foi registrada na última sexta-feira, 20, depois que Paulo não retornou ao presídio militar do Comando de Missões Especiais (CME).

Conforme explicou a PM, o policial está sendo procurado e foram abertos os procedimentos administrativos e criminais pelo Comando de Correições e Disciplina da PM para apurar as circunstâncias da fuga.

Paulo Antônio de Souza Júnior foi condenado a 21 anos e 4 meses de detenção por matar Robertinho e por balear o pai do adolescente. O crime aconteceu em 2017, e o julgamento teve uma série de adiamentos.

O júri, presidido pelo juíz Lourival Machado, condenou os réus do caso pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, fraude processual.

Processo 

Em junho deste ano, além de Paulo, Rogério Rangel Araújo Silva, recebeu a sentença de 10 anos e 8 meses de prisão. Cláudio Henrique da Silva também foi condenado a 10 anos e 8 meses de detenção.

Segundo o processo, no dia 17 de abril de 2017, os três PMs, que faziam parte do serviço reservado, estavam à paisana, foram até a casa do ex-mecânico, que estava com o filho e a esposa, e desligaram o relógio de energia.

Assustado, Roberto pegou uma arma que tinha em casa, adquirida após sofrer um assalto, e deu um tiro para cima. Na sequência, foram dados vários tiros de fora da casa para dentro. Ainda de acordo com a investigação, Robertinho foi atingido por mais de dez disparos e morreu no local. Os militares, porém, alegaram legítima defesa.

Cláudio, Paulo Antônio de Souza Júnior, Rogério Rangel Araújo Silva, chegaram a ser presos na época, mas foram soltos quase três meses depois.

PM’s condenados por matar Robertinho | Foto: Reprodução