PGR se cala sobre bate-boca e quase agressão mútua entre Aras e subprocurador 

Sessão era transmitida pelo canal do órgão e foi interrompida quando procurador-geral da República se levantou e partiu para cima do colega 

Procurada pelo Jornal Opção, a assessoria de imprensa da Procuradoria Geral da República (PGR) – órgão máximo do Ministério Público – informou que não irá se manifestar sobre o bate-boca, que quase culminou em agressão física entre o procurador-geral da República, Augusto Aras e o subprocurador Nívio de Freitas. 

Ambos e demais membros da PGR estavam reunidos em sessão do Conselho Superior do Ministério Público Federal, transmitida ao vivo pelo canal do órgão no YouTube. Em dado momento, Aras anunciou que abriria para a votação, quando um colega indagou se poderia dar sustentação a um “ponto de vista”. Prontamente, o procurador permitiu, mas respondendo: “Pode. Eu só não posso admitir aqui essa bagunça que o colega…”, não completando a frase por interrupção de Nívio: “Bagunça não. Vossa excelência também interferiu quando o colega estava falando. Então, se vossa excelência quer respeito, me respeite também”.

Na sequência, Aras retruca: “Vossa excelência não é digno de respeito”. Os ânimos se exaltaram com os dois batendo as mãos sobre a mesa e com o chefe da PGR se levantando da cadeira em direção ao subprocurador. Antes de ser tirada do ar, imagens mostram um dos seguranças correndo para o meio da sala. Em menos de 30 segundos a sessão é retransmitida como se nada tivesse ocorrido.

Veja trecho da transmissão:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.