Pesquisador da UFG diz que não há evidências de que o coronavírus esteja sob controle em Goiás

Thiago Rangel fez afirmação durante debate e alertou para os riscos de um colapso hospitalar e um grande número de mortos no Estado

Durante atividade realizada junto ao Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg), o professor e pesquisador da Thiago Rangel, um dos responsáveis pelo estudo matemático que resultou no anúncio de novo modelo de isolamento pelo Governo Estadual, o modelo 14×14, afirmou que não “não há uma única evidência de que a pandemia de Covid-19 esteja sob controle em Goiás”.

Sobre a decisão de flexibilização, o professor afirmou que dificilmente isso ajudará no combate à pandemia. “Essa flexibilização deve piorar o que já está muito ruim. Devemos dobrar o número de óbitos em Goiás nas próximas duas semanas”, destacou.

“Devíamos discutir estratégias para manter as pessoas em casa. Seria necessário um auxílio econômico para as empresas e para as pessoas que não podem exercer trabalho remoto. Isso não veio, o que acabou fazendo com que gestores de Estados e municípios optassem pela flexibilização”.

Em diversos momentos do debate, Thiago defendeu o isolamento social como estratégia mais acertada no combate à doença. “É uma ação que trata a população como um todo. Todos os países mais desenvolvidos conseguiram lidar por meio do isolamento. Não adianta tentar passar a ideia de que o pior já passou, pois ainda não chegamos ao pico. Se o isolamento alcançasse mais de 66% o pico passaria e a curva começaria a cair”, enfatizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.