Perícia confirma que vice de Novo Acordo assinou promissória de R$ 6 milhões pela morte do prefeito

O resultado tinha sido apontado pela primeira perícia, contudo, a defesa do vice-prefeito solicitou e pagou por uma nova análise da nota promissória

O vice-prefeito Leto Moura Leitão Filho, que chegou a ser preso | Foto: SSPTO

O Instituto de Criminalística concluiu a segunda perícia e confirmou que o vice-prefeito de Novo Acordo, Leto Moura Leitão Filho (PR), o Letim Leitão, realmente assinou uma nota promissória, no valor de R$ 6 milhões, que teria sido entregue como garantia de pagamento por te encomendado a morte do prefeito Elson Lino de Aguiar (MDB), o Dotozim. A tentativa de assassinato aconteceu em janeiro deste ano.

O resultado tinha sido apontado pela primeira perícia, contudo, a defesa do vice-prefeito solicitou e pagou por uma nova análise da nota promissória. Essa nova perícia atestou, mais uma vez, a veracidade da assinatura de Leto Moura Leitão Filho no documento.

O atentado contra o prefeito ocorreu no dia 9 de janeiro. Ele levou três tiros, inclusive um na cabeça, mas recuperou-se e recebeu alta após alguns dias internado no Hospital Geral de Palmas. A investigação apontou que o crime deveria ser realizado ainda no final de 2018, mas não foi possível. “O vice-prefeito fez outra proposta no valor de R$ 6 milhões, inclusive com uma nota promissória, assinada pelo vice-prefeito. Se a polícia chegasse à autoria do crime, o intermediador Paulo Henrique Sousa blindaria a participação do vice-prefeito, ou seja, ele assumiria a responsabilidade pelo crime”, explicou o delegado Diogo Fonseca.

O vice-prefeito e os outros suspeitos de envolvimento no crime foram presos, mas a Justiça determinou a liberação deles no último mês de agosto. Apenas o atirador confesso, Gustavo Araújo da Silva, continua detido.

Além do vice-prefeito, à época também foram presos Gustavo Araújo da Silva, suspeito de ser o executor do atentado, e o empresário Paulo Henrique Sousa, suspeito de fazer a intermediação entre o político e Gustavo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.