Pela primeira vez em 11 anos, Brasil registra deflação em junho

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,23%, resultado influenciado principalmente pelo setor de alimentos, habitação e combustíveis

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta sexta-feira (7/7), os dados sobre a inflação em junho e, pela primeira vez em 11 anos, o país registrou deflação. No último mês, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,23%, resultado influenciado principalmente pela queda nos alimentos, dos custos de habitação, energia e dos combustíveis.

Na última vez em que registrou deflação, em junho de 2006, o índice de preços no Brasil caiu 0,21%. Além disso, desde agosto de 1998, o índice nunca havia sido tão baixo: naquela ocasião, a taxa foi de -0,51%.

Considerando todo o primeiro semestre, a inflação foi de 1,18%, menor que o valor registrado no mesmo período de 2016, que foi de 4,43%. É o valor mais baixo de toda a série história de janeiro a junho.

Veja a média de preços do primeiro semestre:

Maiores baixas Maiores altas
Abacate: -45,62 Manga: 43,10
Limão: -34,18 Morango: 25,18
Mandioquinha (batata-baroa): -33,82 Açaí (emulsão): 24,38
Inhame: -32,72 Peixe-pintado: 22,99
Feijão-preto: -28,43 Pimentão: 11,62
Maçã: -27,67 Repolho: 11,22
Banana-maçã: -26,43 Manteiga: 11,11
Laranja-baia: -25,05 Alface: 10,92
Banana-d’agua: -23,32 Brócolis: 10,87
Transporte hidroviário: -23,20 Ovo de galinha: 10,60
Maracujá: -21,88 Educação infantil: 10,22
Tangerina: -20,53 Ensino fundamental: 10,07
Passagem aérea: -20,06 Creche: 9,94
Mandioca (aipim): -18,05 Ensino médio: 9,88
Mamão: -16,63 Peixe-pacu: 9,81

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.