PC prende prostituta suspeita de tentar transferir R$ 190 mil da conta de servidora do STJ

Daniele Silva chamou a atenção dos funcionários do banco, que acionaram a polícia. Ela também conseguiu sacar R$ 4 mil da vítima

A Polícia Civil (PC) prendeu, na última segunda-feira (18/9), a prostituta Daniele Silva Matos, que sacou R$ 4 mil e tentava transferir outros R$ 190 mil da conta de uma servidora do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo a delegada responsável pelo caso, Mayana Rezende, ela tentava se passar pela correntista para enganar a atendente.

As investigações revelaram que ela pesquisou informações pessoais da vítima na internet e conseguiu um termo de exoneração com o RG e o CPF dela, falsificando a documentação. Em seguida, solicitou um novo cartão na agência e alterou seu endereço de entrega, para recebê-lo em sua própria casa.

Dois dias depois, ela foi até uma agência bancária em Aparecida de Goiânia e sacou R$ 1 mil, mas a agência bancária resolveu entrar em contato com a correntista depois de achar estranha a troca de senha. Eles bloquearam o cartão e, quando a suspeita tentou sacar mais R$ 3 mil e insistiu para fazer uma Transferência Eletrônica Disponível (TED) de R$ 190 mil, os funcionários do banco acionaram a polícia.

Ela foi presa a duas quadras do banco, enquanto esperava um Uber. Embora estivesse aplicando o golpe em Goiânia, Daniele mora, na verdade, em Belo Horizonte. Como a vítima do golpe é do Distrito Federal (DF), ela acreditava, segundo a polícia, que se praticasse o crime em Goiás, chamaria menos atenção.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.