Pazuello informa à CPI da Covid que não irá prestar depoimento presencial

Ex-ministro justifica a ausência no Senado ao afirmar que teve contato com pessoas contaminadas com o coronavírus; Eduardo foi contaminado com a doença em 2020; em breve comissão deve deliberar e se pronunciar sobre como irá proceder

Após o diagnóstico da Covid-19, Pazuello recebeu a visita do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). | Foto: Reprodução

Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, comunicou a Comissão de Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid que não conseguirá comparecer de forma presencial para seu depoimento no Senado Federal, marcado para esta quarta-feira, 5. Na manhã de hoje, 4, a comissão recolhe os depoimentos do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta e, à tarde, de Nelson Teich.

O general é visto como um dos principais alvos da CPI. A justificativa dada por Pazuello, segundo o vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), é que o ex-ministro teria tido contato com pessoas com suspeita de estarem infectadas com o coronavírus.

Eduardo Pazuello, entretanto, teve a doença em outubro do ano passado, chegando, até mesmo, a ser internado no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília. Um dia após o diagnóstico, inclusive, o ex-ministrou chegou a receber a visita do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e afirmou, na ocasião, que estava sendo medicado com hidroxicloroquina – remédio que não possui eficácia comprovada ao tratamento da Covid-19.

Diante do comunicado de Pazuello, em breve a comissão deve deliberar e se pronunciar sobre como proceder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.