Goiano foi escolhido por unanimidade e substitui Robson Braga de Andrade, afastado do cargo em decorrência da Operação Fantoche

Paulo Afonso Ferreira | Divulgação

De Goiás, o empresário Paulo Afonso Ferreira foi aclamado novo presidente da Conferência Nacional da Indústria (CNI). A escolha é feita por meio de votação entre os representantes da Federação das Indústrias de cada Estado. O goiano venceu por unanimidade nesta quinta-feira, 28.

São, no total, 27 presidentes estaduais votantes, contando os 26 Estados e o Distrito Federal. Na Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Ferreira compõe a diretoria, representando o conselho junto à CNI. Além dele, Paulo Skaf, da Fiesp, e o catarinense Glauco Côrte eram nomes cotados.

O CNI é a instituição máxima de organização do setor industrial brasileiro. De acordo com o site oficial, ela foi criada em 1938 com o intuito de defender os interesses da indústria nacional e atuar na articulação com os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além de diversas entidades e organismos no Brasil e no exterior.

Além das federações, também representa 1.250 sindicatos patronais, aos quais são filiadas quase 700 mil indústrias. Administra diretamente o Serviço Social da Indústria (Sesi), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL).

O goiano sucede Robson Braga de Andrade, que foi afastado do cargo por ser alvo da Operação Fantoche, que investiga esquema de corrupção e fraudes em convênios entre o Sistema S e o Ministério do Turismo.