Paulinho Graus pede licença e Markin Goya assume mandato de vereador em Goiânia

Novo parlamentar engrossa bancada do PMDB na Câmara e ficará por 125 dias 

Paulinho Graus e Markin Goya: o primeiro deixa a Câmara e o segundo assume mandato de vereador | Fotos: Alberto Maia e Larissa Quixabeira

A Câmara Municipal de Goiânia aprovou, na manhã desta terça-feira (31/10), o pedido de licença por 125 dias do vereador Paulinho Graus (PDT) por motivos particulares.

Com a saída do pedetista, o primeiro suplente da coligação seria Tiãozinho do Cais (PRTB), mas este também pediu licença e desistiu de assumir mandato de vereador. Dessa forma, foi empossado o peemedebista Markin Goya.

Apesar de dizer que precisaria apenas de 15 dias para resolver “problemas pessoais”, Paulinho Graus optou por deixar o mandato, abrindo espaço para que outro aliado do prefeito Iris Rezende (PMDB) assumisse a cadeira de vereador.

Especulou-se que o motivo da troca seria para garantir um resultado positivo na votação do IPTU Contínuo — polêmico projeto apresentado pela prefeitura, que é rejeitado até por aliados.

No entanto, o próprio vereador licenciado comentou: “Quero dizer que votação IPTU não me assusta, é uma necessidade, particular, porque estou entre a cruz e a espada, se não venho ao plenário, sou chamado atenção. Preciso de tempo para eu resolver uma questão particular.”

Com Markin Goya, o PMDB passa a ser a maior bancada da Câmara, com quatro vereadores.

Veja abaixo a coletiva do vereador Paulinho Graus (PDT):

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.