Pastor preso em operação da PF demonstrava ser próximo de Gustavo Mendanha

A convite do ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Gilmar Santos chegou a participar de evento promovido pelo ex-embaixador de Israel Yossi Shelley, amigo de Gustavo 

Com livre acesso a políticos ligados ao Palácio do Planalto, o pastor goiano Gilmar Santos também tem forte ligação com o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (Patriota), pré-candidato ao Governo de Goiás. O religioso, que está envolvido em denúncias de tráfico de influência, de compor um gabinete paralelo no MEC e de cobrar de prefeitos para que projetos fossem aprovados no Ministério da Educação, demonstrava ser um aliado do ex-emedebista. Gilmar Santos foi preso na manhã desta quarta-feira, 22, em operação da Polícia Federal.

A proximidade entre Gilmar Santos pode ser comprovada em registros de um evento promovido pelo então embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, em dezembro de 2020. Na ocasião, quando houve uma celebração tradicional da religião judaica, Gustavo Mendanha convidou e levou pastor para participar do encontro – uma tentativa do ex-prefeito de demonstrar algum tipo de influência.

O evento foi registrado pela Embaixada de Israel que chegou a publicar fotos e um texto em seu site com a seguinte chamada: “Embaixador de Israel recebe evangélicos”. Yossi Shelley, que é amigo pessoal de Mendanha, seria ligado aos grupos evangélicos brasileiros. Mendanha e Gilmar estavam no encontro para estreitar relacionamentos com o israelense.

Gilmar Santos se gabava da amizade com o então prefeito Gustavo Mendanha. Em uma rede social, o pastor anunciou que participaria de um evento realizado no Anfiteatro Municipal de Aparecida de Goiânia e na ocasião receberia o título de Cidadão Aparecidense “das mãos do Prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha”.

A relação entre Mendanha e Gilmar demonstra ser antiga. Em um evento, realizado em 2016, o então candidato a prefeito de Aparecida de Goiânia aparece ao lado do pastor. Na legenda da foto um apoiador escreve que o religioso estava orando pela pré-candidatura.

Procurada pelo jornal Opção, a assessoria de imprensa de Gustavo Mendanha informou que o ex-prefeito de Aparecida “conhece o pastor Gilmar, mas nunca obteve qualquer informação de desvio de conduta. Como legalista que é, ele entende que quem tem culpa, e se for provada, a lei tem que ser cumprida”.

Uma resposta para “Pastor preso em operação da PF demonstrava ser próximo de Gustavo Mendanha”

  1. É uma vergonha esses homens que falam de Deus e participam de tantas falcatruas. Deveriam ser afastados do pastorado e irem trabalhar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.