Paço vai intensificar pressão sobre Tatiana Lemos e Delegado Eduardo Prado

Gestão Iris quer garantir maioria sólida na CCJ e, para isso, tentará convencer vereadores a aderir à base 

Tatiana Lemos e Delegado Eduardo Prado | Fotos: Alberto Maia

A gestão do prefeito Iris Rezende (MDB) decidiu montar uma espécie de “força-tarefa” para “conquistar” o passe dos vereadores Tatiana Lemos (PCdoB) e Delegado Eduardo Prado (PV).

Hoje no bloco que se intitula independente, os dois fazem parte da mais importante comissão da Câmara Municipal de Goiânia, a de Constituição e Justiça — que tem sido um verdadeiro calcanhar de Aquiles para o Paço.

Dos sete integrantes, apenas dois são declaradamente base: Welington Peixoto (MDB) e o líder do prefeito, Tiãozinho Porto (PROS). Sem maioria, o resultado não poderia ser diferente: derrota atrás de derrota. E é esse quadro que se tentará mudar, quiçá apenas aplacar.

Como Priscilla Tejota (PSD) e Jorge Kajuru (PRP) são da oposição, assim como a presidente do colegiado Sabrina Garcêz (PMB), a única chance de Iris garantir uma CCJ “alinhada” é fazendo com que Delegado Eduardo Prado ou Tatiana Lemos aceitem aderir.

A tarefa não será nada fácil.

O vereador, estreante na Casa, é autor do decreto que impede a prefeitura de cobrar o chamado “IPTU do puxadinho” e abriu uma verdadeira guerra com a Prefeitura de Goiânia. O caso foi judicializado.

Já Tatiana Lemos, apesar de manter boa relação com a gestão, não tem interesse em compor a base, pois sabe que teria de votar matérias impopulares, como aumento de IPTU. Com forte atuação na área da habitação e integrante do Partido Comunista, sabe bem que se aprovasse projetos que penalizem a população pobre seria duramente cobrada.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.