Os benefícios por trás da banana

No último domingo, o jogador brasileiro Daniel Alves comeu uma banana que foi arremessada durante uma partida entre Villarreal e Barcelona. Mas o que está por trás do alimento e quais são seus principais componentes?

banana 620 350

O início da semana foi marcado por uma atitude que extrapolou os limites das quatro linhas dos campos de futebol. O lateral direito do Barcelona, o brasileiro Daniel Alves, descascou e comeu uma banana que foi arremessada durante partida pelo Campeonato Espanhol. A ação de reprovação ao ato racista foi tão rápida quanto a tomada pelo jogador: o próprio time apoiado pelo torcedor, o Villarreal, o identificou e baniu do estádio; e nas redes sociais os protestos de apoio à atitude vieram de brancos e pretos, posando ou não ao lado de bananas.

Comer a fruta instantaneamente se tornou um ato simbólico e não menos despojado que o dos Panteras Negras nos Jogos Olímpicos de 1968, na Cidade do México, protagonizado pelos norte-americanos Tommie Smith e John Carlos (USA) –– primeiro e terceiro colocados nos 200 metros rasos.

Cada um levantou um dos braços com o punho fechado e a cabeça abaixada em protesto contra as injustiças cometidas contra negros. Por isso, foram expulsos da competição e da Vila Olímpica.

Daniel Alves não precisou ler o livro com os melhores trechos de discursos e palestras do líder negro Martin Luther King Jr., ou o complexo estudo Casa Grande e Senzala, de Gilberto Freyre, para decidir se comia ou não a banana. E nem saber que em 1955 uma senhora negra chamada Rosa Parks se recusou a ceder o assento em que estava em um ônibus do transporte coletivo nos Estados Unidos a um branco (o que iniciou uma grande luta por direitos iguais aos negros).

Sabendo ou não disso, o brasileiro engoliu a banana com a mesma vontade que Garrincha, Pelé e o Didi Folha Seca –– todos de pele escura e ex-jogadores de seleção brasileira –– passaram a bola por baixo das pernas do adversário ou marcaram um gol de placa. Passado o fato e estando na presente efervescência da polêmica protagonizada por Daniel Alves, é preciso perguntar: quais são os benefícios ao corpo humano quando se come banana? Quais as principais propriedades da fruta? Existem restrições ao alimento? Para um atleta, há diferencial quando ele a consome? Para elucidar esses e outros questionamentos, o Jornal Opção Online conversou com uma especialista.

Citando o caso do ex-jogador de tênis Gustavo Kuerten, o Guga, que tinha sempre a tiracolo um cacho de bananas, Mônica Laboissiere disse que a fruta é ótima para o atleta, mas tem que ser consumida um pouco antes da prática de esportes para se evitar indigestão e a diminuição do desempenho.

Ela relata que na época em que Guga estava no auge e levava para a quadra as bananas, pairava uma dúvida sobre como se dava o processo de digestão. “Comer muito próximo ao jogo não é legal, pois é preciso ter um processo digestivo. Um lado do cérebro está voltado para a digestão e outro, para o desempenho”, esclareceu a profissional, dizendo que o alimento não é processado tão rapidamente quanto outros componentes consumidos por atletas e contidos em bebidas energéticas.

Bom para o esportista

Falando sobre a importância das propriedades da banana para quem pratica esportes, Mônica listou que a fruta possui carboidrato, potássio e magnésio. Os três elementos formam a base das propriedades dela e são relevantes tanto para o esportista quanto para uma pessoa comum. Uma peça cobre toda a necessidade que o corpo humano precisa consumir de potássio e magnésio diariamente.

Os dois têm a função de manter o equilíbrio hidroeletrolítico do organismo, o controle da entrada e saída de água no metabolismo, a transmissão de impulsos nervosos e o funcionamento cardíaco, além da produção de hormônios que previnem a osteoporose.

Daniel Alves em foto durante treinamento, em Goiânia. Atos racistas são comum no futebol europeu. Foto: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

Daniel Alves em foto durante treinamento, em Goiânia. Atos racistas são comum no futebol europeu. Foto: Marcello Dantas/Jornal Opção Online

Outro componente destacado pela nutricionista é a vitamina B6 (piridoxina). Conforme destacou a especialista, a substância tem a função de relaxar a musculatura, por ser retida nos músculos, fator importante para um atleta. No caso de Daniel Alves, que atua especificamente nas alas do campo por ser lateral direito –– pode correr de 9 a 11 km nos 90 minutos de tempo na partida de futebol ––, tal item é importante pelas constantes propulsões físicas que acontecem durante o jogo.

O tripé de nutrientes está presente em todas as bananas. O que se diferencia é o estado em que cada fruta se encontra apta para alimentação. Quando está mais madura, tem função laxativa, ou seja, melhora o funcionamento do intestino. Quando mais verde, ocorre o contrário, retendo o bolo intestinal.

O magnésio, a vitamina B6 e, principalmente, o potássio também atuam no combate à hipertensão.

Banana para todos

Atuando como nutricionista há mais 25 anos, Mônica é formada pela Universidade Federal de Goiás (UFG) com pós-graduação em nutrição esportiva na Universidade Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro. Questionada se já viu algum caso de restrição à banana, ela nega ter visto algo do tipo. Mas alerta para os diferentes mitos que envolvem a fruta.

Um deles é o de que a banana engorda. A profissional avalia que o alimento ajuda até mesmo no emagrecimento. “Ela mata muito a fome e serve para o lanche da tarde.” Outro está relacionado à diabetes. Quem tem pode comer? Sim, diz, desde que esteja mais verde.

Mônica aponta ainda outra lenda: a de que a banana é “pesada” para crianças e que não pode ser ingerida à noite. A banana auxilia no aumento do bolo fecal e na digestão. No entanto, a nutricionista ressalta que pode haver casos de restrição para os pacientes que possuam problema renal crônico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.