Oposição inicia discussões pela definição de um nome para a disputa pela presidência da Câmara

Geovani Antônio (PSDB), um dos nomes mais cotados, afirma que as discussões estão apenas em fase “embrionária”

Foto: Ascom/Câmara Municipal

Foto: Ascom/Câmara Municipal

Com a proximidade da definição do nome que vai liderar a mesa diretora da Câmara Municipal de Goiânia pelos próximos dois anos, começam as articulações pela eleição do novo representante da Casa. A base do prefeito Paulo Garcia (PT), assim como a oposição, já deram inícios às reuniões no sentido da escolha de nomes para pleitear a vaga.

Geovani Antônio (PSDB), um dos mais cotados para a oposição, afirma que as discussões estão apenas em fase “embrionária”. Ele conta que nove dos vereadores de seu grupo iniciaram os debates em um almoço nesta quarta-feira (5/11), mas que nada de concreto saiu dessa conversa.

Segundo ele, os vereadores estiveram muito envolvidos nos últimos meses com as eleições e, agora, os debates devem ter andamento. Por isso, atesta, as discussões sobre o assunto estão “devagar”.

“Tudo que falarmos sobre as eleições da Câmara agora vai ser apenas suposições. De fato, ainda não há nada de concreto, efetivo”, diz, ressaltando que ele colocou seu nome à disposição para o pleito. “Se o grupo entender que sou um bom nome, estarei pronto.”

Na hipótese de que venha a ser eleito no dia 11 de dezembro, Geovani garante que manterá o compromisso pela imparcialidade e diz que não será um “presidente cerceador de temas polêmicos”. “Geralmente, quando assume a presidência alguém ligado ao prefeito, a tendência é de que assumam um direcionamento muito forte, uma posição chanceladora. Mas não é por ser da oposição que vou agir de forma parcial.”

Apesar dos diversos indicativos de que o governador Marconi Perillo (PSDB) venha a se empenhar para que um vereador da oposição a Paulo Garcia (PT), com vistas a abrir caminho para o PSDB na prefeitura de Goiânia em 2016, Geovani afirma que as articulações não devem se dar dessa forma. “Não é dessa maneira que o governador costuma agir. Ele, enquanto líder do Executivo, não interferiria no Legislativo”, disse.

Porém, não são apenas nomes da oposição ou da base do prefeito que estão de olho na presidência da Câmara. O Bloco Independente também está na disputa e, ainda que ninguém do grupo tenha se manifestado como potencial candidato, Zander Fábio (PSL) é o mais cotado.

Assim, haveria chances de que a oposição venha a apoiar um nome do Bloco Moderado? “Acho muito difícil”, diz Geovani Antônio. “Essa possibilidade sequer foi mencionada em nossa conversa ontem e nós somos maiores numericamente. Porém, teremos total disposição de recebe-los caso optem por apoiar um nome da oposição.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.