Obra parada no setor Faiçalville há 10 anos terá futuro decidido pelo prefeito Iris Rezende

Segundo líder do Paço na Câmara, a administração municipal adotou as medidas cabíveis para continuar a obra

Sabrina Garcêz diz procurar resposta para o futuro da obra parada desde 2009 | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal, Sabrina Garcêz, questionou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia, Celso Camilo, acerca do dinheiro enviado pelo governo federal, em 2009, para a construção do Centro de Economia Solidária de Goiânia. A obra não foi concluída por nenhuma das gestões municipais de Goiânia desde então e o Planalto pediu a devolução de R$ 400 mil.

Para a vereadora “ficou claro a falta de planejamento da prefeitura por devolver R$ 400 mil para o governo federal por falhas técnicas de gestão e execução do convênio. Questionado sobre o destino da obra, o secretário se limitou a dizer que cabe ao prefeito a decisão sobre o que vai acontecer”.

O líder do Paço na Câmara Municipal, Oséias Varão (PSB), confirmou que o prefeito Iris Rezende (MDB) tomará uma decisão sobre o futuro da obra, mas que a administração municipal adotou as medidas que estavam ao alcance, como abrir licitação para fornecimento de materiais para a obra, mas ninguém se interessou.

Líder do Paço na Casa, Oséias Varão, diz que decisão sobre futuro da obra está nas mãos do prefeito | Foto: Livia Barbosa/Jornal Opção

“É preciso ressaltar que esse projeto está se arrastando desde 2009, não foi criado pela atual gestão. Tentamos viabilizar a execução da obra, fizemos licitação para compra de materiais e não houve interessados para o fornecimento e o convenio com o governo federal foi cancelado”. Uma segunda proposta para o líder do governo é doar o local para a Secretaria Municipal de Educação construir um Centro de Educação Infantil (Cmei), conforme solicitado pelo secretário da pasta ao gabinete do prefeito.

Obra parada

A obra iniciada em 2009, fruto de convênio com o Governo Federal, tinha previsão de 13 meses para a sua conclusão, mas, passados mais de nove anos de seu início, a União decidiu não renovar com a Prefeitura por não ter acatado às justificativas enviadas sobre a não finalização das obras.

O custo total seria de R$ 717 mil, deste valor, R$ 317 mil seriam de contrapartida da Prefeitura de Goiânia. Localizado no setor Faiçaville, o Centro teria espaço para treinamento, bazar e laboratórios. Caso retome às obras, para conclusão do espaço, a estimativa é de que a prefeitura tenha que gastar mais R$ 800 mil.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.