Novo sistema de bilhetagem apresenta problemas pontuais, mas que “estão sendo resolvidos ” diz Redemob

Sistema foi implantado no último sábado, 23, e é totalmente digital e conta com reconhecimento por biometria facial

Mais de 1,6 milhão de pessoas utilizam o transporte coletivo na Região Metropolitana | Foto: Reprodução

Os usuários do transporte coletivo ainda estão se adaptando com o novo sistema de bilhetagem implantado no último sábado, 23, em Goiânia. A operação é totalmente digital e conta com reconhecimento por biometria facial.

A gerente do Sitpass da Rede Metropolitana de Transportes Coletivo (RMTC), Flávia Tillmann, explicou ao Jornal Opção que ainda não há um balanço com números exatos sobre a instalação do novo sistema, mas que desde sábado vem ocorrendo problemas que estão dentro do esperado. “A implantação aconteceu dentro do esperado estamos tendo alguns problemas pontuais, mas que estão sendo resolvidos e tratados. Em relação ao apoio estamos com equipe no campo operacional para apoio a todos os clientes no momento que eles vão utilizar”, pontua.

Segundo ela, nesta semana o foco ainda está concentrado no início da operação e no apoio ao usuário, onde  há mais de 4 mil profissionais envolvidos. “Todos os motoristas foram treinados e orientados para esclarecer qualquer dúvida do cliente, e uma das principais informações que é importante ressaltar  é que em hipótese alguma o cliente será impedido de chegar ao seu destino final”, ressalta.

A Redemob informou que mais de 1,6 milhão de pessoas utilizam o transporte coletivo na Região Metropolitana. Além disso, mais de R$ 16 milhões foram investidos no novo sistema. “A evolução vai trazer maior conveniência, segurança contra fraudes e possibilidades de políticas públicas para o segmento de transporte coletivo”, pontua o diretor executivo da Redemob, Leomar Avelino Rodrigues. Veja as mudanças:

Recarga a bordo

É feita com o uso de cartão de crédito ou débito. Os passageiros não precisam trocar os cartões por novos. De acordo com a Redemob, após colocar o cartão, demora em torno de 10 segundos para aparecer uma mensagem no visor do liberando a passagem.

Biometria facial

É aplicada para quem faz o uso do cartão do idoso. Uma máquina fotográfica de alta resolução deve identificar o rosto do portador do cartão, evitando fraudes.

Quem migra o acesso para o novo sistema é o próprio passageiro, apresentando o cartão Sitpass no novo leitor, de cor amarelo,  instalado nos ônibus e terminais. O processo é automático e feito apenas uma vez. De acordo com a administradora do transporte, caso o passageiro tenha problemas com o cartão, ele deve conversar com o motorista para que o oriente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.