Novo presidente do Ipasgo anuncia pagamento da dívida com rede credenciada

Os pagamentos deveriam ter sido realizados em dezembro de 2018, mas ficaram como dívidas para a nova gestão do órgão

Foto: divulgação

O presidente do Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (Ipasgo), Silvio Fernandes, anunciou o pagamento da dívida de R$ 122,9 milhões com a rede credenciada para o próximo dia 6 de fevereiro. Os valores devidos aos prestadores de serviços de saúde (pessoas físicas e pessoas jurídicas) credenciados pelo órgão são referentes ao mês de outubro e parte de setembro do ano passado.

Esses pagamentos deveriam ter sido realizados em dezembro de 2018, mas ficaram como dívidas para a nova gestão do Ipasgo. O novo calendário para a quitação do débito foi divulgado na manhã desta sexta-feira, 25, após reunião, na sede do Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) com as presenças do presidente do Ipasgo, Silvio Fernandes e integrantes do Comitê das Entidades Médicas do Estado de Goiás (Cemeg), grupo formado pela Academia Goiana de Medicina (AGM), Associação Médica de Goiás (AMG), Cremego e Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (Simego).

O encontro foi promovido pelas entidades de saúde para debater e reivindicar a atualização do pagamento dos serviços prestados pelos médicos e estabelecimentos de serviços de saúde. Para o presidente do Cremego, Leonardo Mariano Reis, que falou em nome dos médicos após a reunião, o anúncio do pagamento de setembro e outubro trouxe maior segurança aos prestadores. Segundo ele, a expectativa, agora, é de normalização de todos os pagamentos.

O presidente da Federação dos Hospitais, Laboratórios, Clínicas de Imagem e Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Estado de Goiás (Fehoesg), Carlos Alberto Ximenes, disse que o serviço continua normalmente.

“A explanação do novo presidente do Ipasgo foi transparente, nos mostrou realmente o que está acontecendo no instituto e nos deu as respostas que queríamos saber sobre os pagamentos. O presidente foi bem transparente e nos mostrou que até o dia 6 de fevereiro pagará o mês de outubro e restante de setembro. Então, não vejo motivo nenhum para que se pense em paralisação neste momento”, afirmou Ximenes.

O presidente do Ipasgo, Silvio Fernandes, mostrou as dificuldades financeiras que o instituto está enfrentando. Além da dívida com os prestadores de serviço, há um déficit mensal de R$ 10,5 milhões. Também impacta negativamente nas contas do órgão a dívida acumulada pelo Governo do Estado, no período entre 2012 e 2018. Neste período, a administração estadual deixou de repassar ao Ipasgo o equivalente a R$ 272,6 milhões referentes aos programas sociais e à contribuição periódica, que recolhida da folha salarial do servidor público para o custeio da assistência em saúde.

Os valores recolhidos dos servidores entre novembro e dezembro de 2018 não foram repassados e somam R$ 89.239.090,16. O presidente do Ipasgo, Silvio Fernandes, afirmou, durante a reunião, que está tomando medidas para sanear a situação financeira do órgão. “Peço um voto de confiança neste momento e não vamos sacrificar nem os beneficiários nem os prestadores”, garantiu ao afirmar que vai debater com as entidades um cronograma para pagar novembro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.