Nova empresa deve assumir obras do BRT no segundo semestre de 2022

Apesar de quebra de contrato, após gasto de R$ 7 milhões nos 8% do Trecho I, Seinfra diz que não houve prejuízo além do atraso da própria obra

Após o Consórcio Corredor Norte-Sul, formado pelas empresas GAE, Sobrado e JM, desistir do contrato com a Prefeitura de Goiânia para executar as obras do BRT, o Paço Municipal informou ao Jornal Opção que nova empresa deve assumir a retomada das obras somente no segundo semestre de 2022. Segundo o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), esse prazo é necessário porque é preciso “aguardar o distrato”. Só após ele, o município fará “uma nova licitação para o trecho 1”.

Nas obras do trecho 1, localizado entre os terminais Isidória e Cruzeiro, na região Sul de Goiânia, de acordo com a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras (Seinfra), já foram gastos cerca de R$ 7 milhões. Esse montante foi demandado na execução de apenas 8% do total da obra do trecho – que é o que foi feito até o momento. Apesar da previsão de que a nova empresa assuma no próximo semestre, o Paço ainda acrescenta a condição de que “depende da licitação” para que isso realmente se concretize.

“Quanto a previsão de término do trecho 1, precisamos aguardar a licitação, mas a Prefeitura tem trabalhado para concluir o mais breve possível”, diz a secretaria. Além disso, mesmo após o empreendimento de R$ 7 milhões para que toda a obra do trecho se concretize, a previsão do Paço Municipal é que seja necessário o investimento de cerca de R$ 65 milhões.

Ainda que o Consórcio Corredor Norte-Sul tenha desistido da continuidade da execução da obra, o Paço afirma que não haverá nenhum prejuízo às empresas, já que o valor recebido pelo consórcio é somente referente ao trabalho realizado. A desistência da continuidade do trabalho, de acordo com a Seinfra, foi em razão de desequilíbrio financeiro provocada pela alta dos insumos da construção civil durante a pandemia da Covid-19.

Já quanto ao trecho 2, localizado na região Noroeste da cidade, entre os terminais Isidória e Recanto do Bosque, que deveria ter sido inaugurado no aniversário de Goiânia, comemorado no dia 24 de outubro, também não há nova previsão de inauguração. De acordo com o Paço, apesar de o trecho já estar 94% concluído, a finalização depende das “questões climáticas com as obras na Praça Cívica e na Avenida Goiás”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.