No Fantástico, Jovair rebate especulação de que processo do impeachment corre “rápido demais”

Deputado goiano afirmou, durante entrevista, que rito foi definido pelo STF e comissão dará ampla defesa à presidente

Jovair Arantes durante entrevista ao Fantástico / Foto: reprodução

Jovair Arantes durante entrevista ao Fantástico / Foto: reprodução

O deputado federal Jovair Arantes (PTB) rebateu, na noite deste domingo (3/4), especulações de que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) estaria correndo rápido demais.

Durante entrevista no Fantástico, da Rede Globo, o goiano explicou que o processo, do qual é relator na Comissão do Impeachment, caminha normalmente.

“Estamos seguindo o rito estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e já tivemos uma experiência como essa no passado [contra o ex-presidente Fernando Collor]. No Direito, a jurisprudência ajuda a dar os caminhos a serem seguidos”, explicou.

Durante pouco mais de sete minutos, a matéria do Fantástico abordou o caos da atual situação política do País, destacando os acontecimentos da última semana em Brasília — em especial, os trabalhos da comissão.

Jovair Arantes — que está em seu quinto mandato como deputado federal — reafirmou, durante entrevista ao programa dominical, que este é “o momento mais importante” de sua vida pública. “A bola está comigo e espero poder corresponder às pessoas que estão torcendo para que ela vá na direção certa”, arrematou.

Relatório

Relator da comissão especial do impeachment, o deputado Jovair Arantes garantiu, na última sexta-feira (1º), que deve antecipar a entrega do parecer sobre o impedimento de Dilma para quarta (6) ou quinta-feira (7) da semana que vem. Ele é o responsável por produzir o parecer favorável, ou não, ao afastamento da presidente.

Para ele, a ação abrirá tempo para que os colegas da comissão possam pedir vistas do processo e, assim, analisar o conteúdo da decisão: que ele garante, será estritamente técnico e desprovido de caráter político-partidário.

Ainda segundo Jovair, o regimento interno da Câmara Federal estabelece prazo máximo de cinco sessões plenárias, após a entrega da defesa, para que o parecer esteja votado na comissão. A expectativa é que o relatório seja apreciado no dia 11 de abril.

A defesa da presidente Dilma Rousseff deve chegar já nesta segunda-feira (4/4). Na última semana, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa foi à comissão defender o governo federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.