Neta de ex-banqueiro é condenada a pagar dívida antes de fazer doação de R$ 500 mil a Lula

Roberta Luchsinger, filha do falecido Peter Paul Arnold Luchsinger, deve R$ 62 mil a uma loja de decoração

Declarações sobre doação de dinheiro ao ex-presidente Lula colocaram herdeira de ex-dono de banco na mira da Justiça | Foto: Reprodução/Facebook

A mineira Roberta Luchsinger, neta do ex-banqueiro suíço Peter Paul Arnold Luchsinger, foi condenada pagar R$ 62 mil em dívidas a uma loja de decoração antes de agir com “disposição graciosa de bens”. A herdeira do ex-acionista do banco Credit Suisse prometeu fazer uma doação de R$ 500 mil ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

De acordo com a decisão do juiz da 26ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), Felipe Albertini Nani Viaro, a neta de 32 anos de Peter Paul, que morreu em julho deste ano, Roberta tem dez dias para indicar bens a serem penhorados. Segundo o site da Revista Veja, se a herdeira do ex-banqueiro não cumprir o que foi determinado na sentença, a multa aplicada será de até 20% sobre o valor atualizado da dívida.

A determinação do magistrado para que Roberta não faça ações de “disposição graciosa de bens” até que o valor da dívida seja quitado integralmente impõe uma barreira momentânea à doação que a neta do ex-acionista do Credit Suisse declarou à imprensa que faria a Lula. Na sentença, o juiz informa que o repasse de dinheiro de forma voluntariosa a qualquer pessoa ou entidade antes de pagar o que deve será considerado “fraude à execução”.

Roberta, que mora em Higienópolis, bairro nobre da capital paulista, disse ao jornal Folha de S.Paulo que doaria 28 mil francos suíços em um cheque que ganhou do avô, que corresponde a R$ 93 mil. Outro valor que seria repassado a Lula por meio de doação era um relógio Rolex, um vestido da grife Dolce & Gabbana, um anel de diamantes Emar Batalha, além de uma mala e uma bolsa de marcas caras. Somados aos cheque, os itens estão avaliados em R$ 500 mil.

A neta do ex-acionista do banco suíço afirmou que a doação ajudaria Lula, que teve seus bens bloqueados pelo juiz Sergio Moro em primeira instância. O magistrado da Justiça Federal do Paraná condenou Lula por corrupção e lavagem de dinheiro no processo que atribui ao ex-presidente a propriedade de um tríplex em Guarujá (SP). De acordo com a sentença, o apartamento seria do petista por meio de pagamento de propina por contratos da Petrobras.

O bloqueio aplicado pela Justiça Federal a Lula é de R$ 606 mil em dinheiro, além de três apartamentos, dois veículos, aproximadamente R$ 9 milhões em previdência privada e um terreno.

Planos para 2018 

Além de ser herdeira do ex-acionista do banco Credit Suisse, Roberta foi casada com o ex-deputado federal pelo PCdoB e ex-delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, lembrado por sua atuação na Operação Satiagraha. Condenado por violação de sigilo na Satiagraha, que foi anulada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2011 por irregularidades, Protógenes se mudou para a Suíça.

Deflagrada em 2004, a Satiagraha foi uma das primeiras operações da Polícia Federal a investigar crimes de corrupção e lavagem de dinheiros com envolvimento de políticos e banqueiros. O principal indiciado pela operação foi o banqueiro Daniel Dantas. Entre os planos de Roberta, que de acordo com o site da Veja se nega a ser reconhecida como uma socialite, está o de se tornar candidata a deputada estadual pelo PCdoB, partido ao qual é filiada, em São Paulo em 2018.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.