Navegação na hidrovia Tietê-Paraná é liberada depois de 20 meses

Governos de Goiás, São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul participaram de solenidade em Butirama (SP), que marcou a retomada da navegabilidade, impedida desde maio de 2014

Foto: Governo de São Paulo

Solenidade marca reabertura da navegação na hidrovia Tietê-Paraná | Foto: Governo de São Paulo

Depois de 20 meses impedida de ser usada, a hidrovia Tietê-Paraná foi reaberta nesta quarta-feira (27/1) em Butirama, no interior de São Paulo. Ao lado dos governadores Geraldo Alckmin (PSDB-SP), Beto Richa (PSDB-SP), Pedro Taques (PSDB-MT) e da vice-governadora Rose Modesto (PSDB-MS), Vilmar Rocha, secretário estadual de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), representou o governador Marconi Perillo (PSDB-GO) na solenidade de retomada da navegação na hidrovia.

“Este é um evento simbólico, mas com um forte conteúdo. A hidrovia Tietê-Paraná é fundamental para o escoamento de grãos, cana de açúcar, madeira e papel e Goiás tinha um interesse muito grande nessa reabertura”, afirmou Vilmar Rocha.

O secretário goiano explicou que esteve ao lado de Marconi “nessa luta” pela reabertura da hidrovia Tietê-Paraná pela importância na busca de competitividade para a produção, geração de empregos e desenvolvimento de Goiás. Segundo Vilmar, a retomada da navegação é fundamental para o meio ambiente e para garantir mais segurança nas rodovias com a redução do transporte rodoviário de cargas.

Goiás conta com um porto em São Simão, na região Sul de Goiás. Em toda sua extensão, a hidrovia tem 2,4 mil quilômetros.

A navegação havia sido interrompida em maio de 2014 pelo baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas Três Irmãos e Ilha Solteira, além da crise hídrica no Sudeste brasileiro.

De acordo com o governo goiano, a suspensão da navegação na hidrovia gerou prejuízos e demissões no setor de grãos em Goiás, principalmente pelo transporte de soja, milho, celulose e madeira.

Negociações

Vilmar Rocha afirmou que desde o início de 2015 o governo tem negociado a reabertura da hidrovia com os secretários paulistas de Transportes e Logística, Duarte Nogueira, e de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles. Marconi e Vilmar participaram de reuniões com os dois titulares de pastas do governo de São Paulo, além de audiências com os ministros Aloízio Mercadante, quando estava na Casa Civil, Antônio Carlos Rodrigues, no Ministério dos Transportes, e Eduardo Braga, titular do Ministério de Minas e Energia.

As chuvas registradas nas últimas semanas e operações para transferir água dos reservatórios das hidrelétricas de Três Irmãos e Ilha Solteira possibilitou a retomada da navegação na hidrovia Tietê-Paraná. A negociação com o governo paulista e a União também foram importantes para a reabertura, informou o governo goiano.

O uso da hidrovia para o transporte de cargas deve baratear custos e aumentar a competitividade dos produtos brasileiros. Esses são alguns dos pontos levados em consideração pelo Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo, que determinou a reabertura da Tietê-Paraná nesta quarta. A previsão inicial era de que a retomada da navegação aconteceria a partir de fevereiro de 2016.

“Essa reabertura, num momento de crise do País, demonstra também que todos nós estamos otimistas e esperançosos de que o Brasil vai sair dessa fase. A volta da navegabilidade da hidrovia significa geração de empregos, renda, produtividade e desenvolvimento para Goiás, para a região Centro-Oeste e para o Brasil”, concluiu Vilmar Rocha. (Com informações da Secima)

Suspensão da navegabilidade na hidrovia aconteceu em maio de 2014 | Foto: Governo de São Paulo

Suspensão da navegabilidade na hidrovia aconteceu em maio de 2014 | Foto: Governo de São Paulo

Uma resposta para “Navegação na hidrovia Tietê-Paraná é liberada depois de 20 meses”

  1. Welbi Maia disse:

    Com o fim da estiagem que paralisou as operações na Hidrovia Tietê-Paraná, cerca de 100 mil viagens de caminhões serão evitadas. Com isso, além do frete ficar mais barato, centenas de empregos serão retomados. O governador Alckmin ainda anunciou obras para a hidrovia como ampliação do canal de Nova Avanhandava e dragagem do canal de Anhembi. O que aumentará ainda mais a capacidade de navegação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.