“Não sentimos vontade política do governo em resolver a situação”, diz presidente do Sinpol

Pagamento dos salários de dezembro segue sem consenso entre gestão estadual e servidores

Foto: Reprodução

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás (Sinpol), Paulo Sergio Alves de Araújo, falou ao Jornal Opção sobre os próximos passos das categorias em relação à negativa da proposta feita pelo Fórum em Defesa dos Servidores e Serviços Públicos do Estado de Goiás pelo governo Caiado.

Paulo Sérgio explicou que os servidores tinham uma proposta viável de pagamento do salário de dezembro no mês de fevereiro, mas que a equipe de governo teria insistido no escalonamento por faixa salarial em cinco meses. “Não sentimos vontade política do governo em resolver a situação”, avaliou.

“Esse parcelamento não interessa aos servidores, pois estamos com nossas contas atrasadas. Prestamos o serviço e esperamos receber por ele o mais rápido possível, isso é o que se espera de qualquer empresa, o salário é o primeiro compromisso a ser honrado”, pontuou o presidente do Sinpol.

De acordo com o sindicalista, como não houve acordo nesta quarta-feira, 23, cada categoria deve partir para a realização de assembleia e decidir o que fará em relação à proposta do governo. Algumas categorias podem optar por realizar paralisações e manifestações.

O Fórum em Defesa dos Servidores Públicos organiza uma manifestação nesta quinta-feira, 24, na sede do Ministério Público do estado de Goiás (MP-GO). “O MP está calado, não fez nada até o momento, por isso, vamos lá cobrar um posicionamento”, explicou Paulo Sérgio.

“Queremos contar com nossos salários, pois trabalhamos e não é justo que o servidor pague pela má gestão de um ou outro governo. Nossas contas não esperam”, finalizou o representante do Sinpol, que mostrou descontentamento com o posicionamento “de um governo de 20 dias”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.