Na corrida contra Covid-19: missão para equipar Hospital das Clínicas tem três etapas

Reitor da UFG, Edward Madureira, destaca que o maior obstáculo pode ser a compra de equipamentos com grande demanda devido à pandemia, mas considera possível 

Foto: Fábio Costa/ Jornal Opção

Equipar o novo prédio do Hospital das Clínicas é uma das ações perseguidas pela gestão da Universidade Federal de Goiás (UFG) durante a pandemia do novo coronavírus. Após colocar o local à disposição para receber casos de Covid-19, a universidade busca a destinação de recursos para equipar os leitos. Ao Jornal Opção, o reitor Edward Madureira diz que é possível e destaca que as novas vagas podem ser a diferença para desafogar um possível colapso do sistema de saúde em Goiás.

Segundo Edward, ofícios com solicitações de apoio já foram enviados para as esferas municipal, estadual e federal. Ao todo, para equipar os 600 leitos que o hospital tem capacidade, é necessário cerca de R$ 37 milhões. Entre as sinalizações positivas, a Câmara Municipal de Goiânia aprovou o repasse de R$ 6 milhões para o HC.

“Uma possibilidade concreta vem das emendas impositivas. A nossa expectativa é que a movimentação da bancada goiana nesse processo consiga a liberação”, destaca o reitor, que antecipa a segunda etapa do processo, que, segundo ele, pode ser a mais complicada: a compra de equipamentos, como respiradores, que já estão em falta no mercado devido à alta demanda.

“Já temos alguns equipamentos que estamos correndo atrás, mas o mundo todo também está. E para equipar o hospital é necessário” afirma Edward, que considera que a terceira etapa, que se dá sobre a contratação dos profissionais, deve ser facilmente superada, já que a atual gestão do HC tem a autonomia para contratar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.