Museu não sediará prêmio “Pessoa do Ano” a Bolsonaro

Pelas redes sociais, instituição afirmou que o local “não é o melhor local para o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos”

O Museu Americano de História Natural, em Nova York, não vai mais sediar evento de premiação a Jair Bolsonaro. A cerimônia do prêmio “Pessoa do Ano” aconteceria em 14 de maio, em um dos salões local, mas foi cancelada nesta segunda-feira, 15.

Via Twitter, a instituição justificou que “em respeito mútuo pelo trabalho e pelos objetivos das nossas organizações individuais, concordamos em conjunto que o museu não é o melhor local para o jantar de gala da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos. Esse evento tradicional ocorrerá em outro local na data e hora originais”.

Preocupação

Na última sexta-feira, 12, a instituição se disse preocupada sobre sediar a cerimônia, uma vez que houve pedidos para que o local não fosse usado para tal. O museu reforçou, ainda, que não convidou o presidente e que a Câmara de Comércio alugou o local antes de anunciar que Bolsonaro seria homenageado.

Jantar

Este jantar acontece todos os anos desde 1970. Na ocasião, um brasileiro e um estadunidense considerados importantes na aproximação das duas nações recebem a premiação.

Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Bill Clinton já receberam o prêmio. O representante dos Estados Unidos desta edição ainda não foi revelado.

Críticas Pelas redes sociais, diversos internautas consideraram o presidente brasileiro incompatível com o local escolhido. O prefeito de Nova York, em entrevista a uma rádio local, chegou a dizer que Bolsonaro é “um ser humano muito perigoso” e ainda o chamou de racista e homofóbico.

A Presidência da República ainda não havia se posicionado sobre a alteração. O novo local não foi definido.

(Com informações do Uol Notícias)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.