Vítima teria se desesperado ao ver o médium voltar a trabalhar

Um das vítimas que denunciou o médium João de Deus por abuso sexual teria cometido suicídio nesta quarta-feira, 12. A informação foi repassada pela ativista social Sabrina Bittencourt à Folha de S. Paulo.

[relacionadas artigos=”153031″]

“Ela se desesperou quando viu que ele foi trabalhar hoje de manhã”, declarou a ativista que afirma que a família da vítima não acreditava nos relatos de abuso.

Sabrina Bittencourt disse ainda que está sendo medicada e que está em choque desde que recebeu a notícia.

Prisão

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) pediu, nesta quarta-feira, 12, a prisão preventiva do médium João de Deus, denunciado por centenas de mulheres que alegam ter sido vítimas de abuso sexual.

Mais cedo, o médium fez a primeira aparição pública na Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia e afirmou que era inocente. “João de Deus está vivo e vai cumprir a Lei dos homens”, falou.

O pedido será analisado pelo juiz Fernando Chacha, de Abadiânia. Procurada, a assessoria do Tribunal de Justiça disse que maiores informações não podem ser repassadas já que o processo corre em segredo de justiça.