MPF vai monitorar preços de passagens sem bagagem despachada

Objetivo é verificar se empresas aéreas realmente cumprirão promessa de cobrar menos caso o passageiro viaje apenas com a mala de mão

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) anunciou, nesta quinta-feira (4/5), que irá acompanhar o cumprimento da promessa da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) de que a permissão para que as companhias aéreas cobrem pela bagagem despachada irá resultar na redução do preço da passagem simples.

Segundo a Resolução nº 400/2016 da Anac, quem não despachar malas irá pagar menos pelo bilhete. O despacho gratuito de bagagem era apontado pelas empresas aéreas como um empecilho para baixar os preços das passagens.

De acordo com o MPF-GO, a procuradora da República Mariane Guimarães já solicitou que todas as empresas que atuam no aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, disponibilizem dados sobre os preços das passagens de todas as viagens que saíram ou vieram para a capital goiana nos últimos 120 dias.

Além desta providência, tomada para que possa ser feita a comparação dos preços, o MPF também solicitou que a Anac preste esclarecimentos sobre quais medidas pretende tomar para monitorar e fiscalizar as vendas de passagens.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.