Moradores vão a Brasília “alertar” Eletrobras sobre instalação da rede de alta tensão no Macambira-Anicuns

Membros do Movimento Diga Não à Rede de Alta Tensão participarão de audiência pública para discutir federalização da Celg e, ao final, entregam “dossiê” com irregularidades da obra à cúpula da empresa que controla a Celg

Foto: Bia Cardin / reprodução Facebook Marcelo Heleno

Foto: Bia Cardin / reprodução Facebook Marcelo Heleno

Integrantes do movimento Diga Não à Rede de Alta Tensão participam de audiência pública que vai discutir a federalização da Celg nesta quarta-feira (19/11), às 14h30, em Brasília (DF). Contrário ao projeto da empresa energética goiana LT Carajás-Atlântico-Campinas — que vem instalando linhas de transmissão de alta tensão na região do Complexo Macambira-Anicuns –, o grupo de moradores tentará sensibilizar o presidente da Eletrobras, Jose da Costa Carvalho Neto, quanto aos malefícios que os postes causarão à população local.

Na oportunidade, o deputado federal e senador eleito Ronaldo Caiado (DEM), um dos principais interlocutores dos moradores, vai relatar o problema enfrentado com a instalação da rede de alta tensão na área residencial. Ao final do encontro, o movimento entregará memorial, apontando irregularidades da obra e todo o histórico apurado por eles. De acordo com um dos cabeças do grupo, Marcelo Heleno, o objetivo é mostrar para a direção da Eletrobras — que atualmente controla a Celg — todas as falhas e incoerências no projeto LT Carajás-Atlântico-Campinas.

Entre os pedidos, estão a suspensão total da obra até que “todas as dúvidas sejam sanadas”, bem como a realização de audiências públicas para debater a instalação dessa rede de alta tensão.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.