Um morador de Campinas relatou, ao Jornal Opção, que tem havido uma espécie de “migração” de pessoas em situação de rua da Praça Joaquim Lúcio para o ginásio de esportes da região. “Todos os dias, são quase 40, 50 pessoas [no local]”, conta o homem que prefere não se identificar por medo de represálias.

Procurada pela reportagem, a Prefeitura de Goiânia disse que realiza um trabalho de “educação social” com pessoas em situação de rua em Campinas, mas que não tem conhecimento da situação relatada pelo morador [veja a nota na íntegra ao final da reportagem].

A peregrinação, segundo o morador, começou há cerca de três meses após a revitalização da Praça. Ele acredita que o movimento teria sido feito pela Prefeitura para “esconder” essas pessoas que moravam naquela região. “O comércio está perdendo cliente porque ninguém quer ir parar na região, além da sujeira que eles deixam, do cheiro e, principalmente, dos roubos e furtos que cresceram”, revela.

Leia também: Em Goiânia, praças do Setor Campinas se transformam em ‘cracolândia’

Mudança de local da distribuição de marmitas

O morador aponta que a mudança do local de distribuição das marmitas, oferecidas aos moradores em situação de rua por parte da Prefeitura de Goiânia, resultou no aumento da população naquela região. “A Igreja Matriz essa distribuição de alimentos lá na Praça, mas a Prefeitura preferiu fazer esse serviço no Ginásio que é mais ‘escondido'”, aponta.

De acordo com o morador, a distribuição na Praça da Matriz é consenso entre os moradores e comerciantes da região, mas o pedido não é atendido pela Prefeitura. “Ninguém é contra distribuir comida, mas não naquele local. Seria justo continuar a distribuição na Praça. Eles comem e jogam as marmitas por ali que apodrecem e fica um cheiro insuportável”, relata.

O que diz a Prefeitura de Goiânia

Em nota enviada ao Jornal Opção, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social (Sedhs) declarou que o Serviço Especializado em Abordagem Social desenvolve um trabalho de educação social especializado com essa população. “O objetivo é encaminhá-las para a rede de proteção e garantir mais dignidade a essa população”.

A pasta disse ainda que não tem “conhecimento que esses usuários tenham deixado a região da praça Joaquim Lúcio”. No entanto, a secretaria confirma a mudança da logística de distribuição, que saiu da praça para ser ofertada na área pública do ginásio. “Ressaltamos que apresentamos rotas na promoção de alimentação, que assim como na região de Campinas, a equipe se desloca em vários pontos de Goiânia distribuindo marmitas”, diz.

O morador relata diversas tentativas de contato e reuniões com a secretaria, mas revela que a população nunca foi atendida pela gerência ou pelo próprio secretário.

Secretaria estuda criação de Centro Pop

O Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop) faz parte da estratégia da Prefeitura para atender necessidades básicas dessa população. O local serve como ponto de referência e apoio às pessoas que vivem nas ruas e pode ser utilizado para armazenamento de pertences, higiene pessoal, alimentação e emissão de documentos.

Segundo a Prefeitura, um estudo está em fase de elaboração para a construção de um ponto de apoio na região de Campinas.

A Unidade Centro Pop Goiânia fica localizado na Alameda Botafogo Nº: 68, Setor Central. O atendimento é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h. Público e formas de acesso: – Famílias e indivíduos em situação de rua – Demanda espontânea – Encaminhamentos do Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS), de outros serviços socioassistenciais, de outras políticas públicas setoriais e demais órgãos do Sistema de Garantia de Direitos.

Veja a nota da SEDHS na íntegra:

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social – SEDHS por meio do Serviço Especializado em Abordagem Social – SEAS, realiza um trabalho de educação social com as pessoas em situação de rua da região de Campinas, através de ações planejadas de aproximação, escuta qualificada  e construção de vínculo de confiança, objetivando mediar e ofertar encaminhamentos a rede de proteção, a fim de garantir que essa população tenha mais dignidade e consiga se retirar dos logradouros públicos, porém todo e qualquer cidadão, constitucionalmente, tem o direito de ir e vir, com isso, o SEAS não pode obrigá-los a deixarem as ruas aderindo os encaminhamentos propostos.

A SEDHS não tem conhecimento que estes usuários tenham deixado a região da praça Joaquim Lúcio, porém sabemos que devido a logística do serviço, houve alteração da localização da entrega de alimentação, de segunda a sexta-feira, na qual anteriormente era distribuída na praça Joaquim Lúcio e atualmente está sendo ofertada na área pública do ginásio de esportes de Campinas. Ressaltamos que apresentamos rotas na promoção de alimentação, que assim como na região de Campinas, a equipe se desloca em vários pontos de Goiânia distribuindo marmitas.

Frisamos que a van que oferta alimentação permanece nesses espaços cerca de aproximadamente 15 minutos, prazo célere, para que a alimentação possa ser ofertada em temperatura adequada e assim promover maior dignidade na distribuição de alimentação para as pessoas em situação de rua e/ou em vulnerabilidade social.

Atualmente contamos com um Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua- CENTRO POP, com atendimento de segunda a sexta das 7h às 16 , na qual oferta trabalho técnico para a análise das demandas dos usuários, orientação individual e grupal, atendimento psicossocial e encaminhamentos a outros serviços socioassistenciais e das demais políticas públicas que possam contribuir na construção da autonomia, da inserção social e da proteção às situações de violência. Disponibiliza oportunidade para a realização de higiene pessoal, de alimentação e provisão de documentação civil, além de propiciar endereço institucional para utilização, como referência, do usuário.

A SEDHS está realizando um estudo técnico para realizar a implantação e implementação de um novo CENTRO POP na região de Campinas objetivando aumentar a abrangência de atendimentos das necessidades mais básicas desses usuários e assim resgatar os direitos violados, além de viabilizar a utilização de outros serviços públicos ampliando a inclusão social dessa população.

O CENTRO POP promove transformações positivas, desses usuários, tanto externa, quanto internamente. Os usuários, além de adquirirem dignidade por meio de higienização, roupas limpas e refeições, passam a planejar sua vida, buscar emprego, educação e reinserção na sociedade.

Leia também:

Vereador quer base da GCM no setor Campinas: “Evitar que os índices de criminalidade aumentem”

Moradores de Campinas pedem mais segurança após morte de homem em praça à luz do dia