Ministro do TSE, Carlos Mário Velloso, renuncia ao cargo

Saída do ministro foi anunciada nesta sexta-feira, 18, por motivo de saúde

O ministro Carlos Mário Velloso Filho, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), anunciou nesta sexta-feira, 18, que irá renunciar ao cargo de juiz substituto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por “motivo de saúde”. A saída de Velloso surpreendeu os outros membros do TSE, o qual precisará organizar o cronograma de trabalho para as questões de propaganda eleitoral deste ano, visto que o ministro seria o responsável pelas análises.

Segundo o ministro, “a renúncia foi por recomendação médica. Não é nada grave, mas incompatível com situações de estresse”, afirmou. Dessa forma, a ministra Cármen Lúcia substituirá o colega na análise de propagandas durante o período eleitoral deste ano.

O TSE é composto por três integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF), dois do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e outros dois juristas, escolhidos pelo presidente da República, de acordo com a lista tríplice definida pelo Supremo. O órgão conta com outros sete ministros substitutos seguindo a mesma proporção. Caso Velloso fosse analisar as propagandas neste ano, estaria junto com os ministros Raul Araújo e Maria Claudia Bucchianeri.

Velloso é filho do ex-presidente do STF, Carlos Velloso e foi reconduzido ao cargo no STE em agosto de 2021. Ele já atuou como advogado e procurador da República no Distrito Federal. Com a renúncia do ministro, o STE vai elaborar uma nova lista tríplice com o nome de três advogados para que Bolsonaro aprove.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.