Meirelles diz que prioridade é cortar gastos e restabelecer crescimento econômico

Ministro da Fazenda afirmou, em entrevista ao Bom Dia Brasil, que combate ao desemprego será feito com estímulo à economia

Meirelles-foto-Marcello-Casal-Jr.-ABr-OK

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante a posse de Temer | Foto: Marcelo Casal Jr. / ABr

O novo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD), afirmou na manhã desta sexta-feira (13/7), que a medida mais importante a ser tomada em sua gestão será conter o déficit público.

“Estamos trabalhando em um sistema de metas de despesas, no qual não haja crescimento real de gastos”, afirmou. Destacou, ainda, que o governo irá estabelecer o “nominalismo para que as contas sejam mantidas em termos nominais.”

Meirelles destacou que, anunciadas e implementadas as medidas, elas serão mantidas. “Não podemos tomar uma decisão hoje, outra amanhã, anunciando uma terceira na semana seguinte”, enfatizou.

Ele disse, ainda, que é preciso adotar as mudanças com calma para que sejam eficazes e possam produzir o efeito desejado, que é a retomada do crescimento econômico. “Com segurança, com clareza, nós vamos tomar e anunciar as medidas necessárias, o que será feito em um prazo relativamente breve”, explicou ele em entrevista ao Bom Dia Brasil, da Rede Globo.

Ponto alto do discurso de Temer, o combate ao desemprego será feito, segundo o ministro goiano, com base na estabilização econômica.

“A maneira para se combater o desemprego é ter crescimento econômico, desemprego é consequência da queda econômica. País que tem contração de quase 4% em dois anos é quase inevitável que aumente número de desempregados. Para combater isso é preciso ter confiança, estabelecer confiabilidade das contas públicas e de que o governo estará solvente no futuro, a partir daí, voltam os investimentos”, argumentou.

Meirelles assegurou que o governo irá cortar privilégios dos que não precisam, como a chamada “Bolsa Empresário”, e, por outro lado, os programas sociais, “que impactam pouco no orçamento e são para pessoas que precisam”, serão mantidos.

Ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles assumiu o cargo na última quinta-feira (12) e, na manhã de hoje, participa da primeira reunião ministerial do presidente interino Michel Temer.

Deixe um comentário