Marina Silva e Bolsonaro se atacam em debate promovido pela RedeTV

Presidenciáveis protagonizaram momento de maior tensão durante embate

Divulgação

Felipe Cardoso

A RedeTV, em parceria com a revista Istoé, promoveu na noite de ontem (17/8) o segundo debate entre os candidatos à Presidência da República. A apresentação do programa foi realizada pelos jornalistas Boris Casoy, que ocupou o centro da bancada, além de Amanda Klein e Mariana Godoy.

O encontro, dividido em quatro blocos e com início às 22 horas, contou com a presença dos seguintes candidatos: Álvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Ciro Gomes (PDT).

Mesmo com as inúmeras tentativas do Partido dos Trabalhadores (PT) para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participasse dos debates promovidos pelas emissoras, o candidato não ocupou a bancada. Porém, Amanda Klein ressaltou, no início do programa, que o púlpito reservado para Lula foi retirado por decisão da maioria das candidaturas. “A única objeção foi do candidato pelo PSOL, Guilherme Boulos”, destacou.

O momento de maior tensão entre presidenciáveis foi protagonizado pela candidata da Rede, Marina Silva e o militar Jair Bolsonaro do PSL. Com a palavra, o candidato disparou: “Eu sou favorável que o cidadão de bem tenha posse de arma de fogo, a sra. concorda com isso?”, indagou.

Marina, por sua vez, respondeu que não, porém usou o restante de seu tempo para argumentar contra um outro posicionamento do militar: “Você disse que não precisamos nos preocupar com a questão dos salários inferiores para as mulheres pois é uma coisa que já está na CLT. (…) temos que nos preocupar sim, pois quando se é Presidente da República temos que fazer cumprir o artigo 5° da Constituição Federal que diz que nenhuma mulher deve ser discriminada”. Finalizou dizendo que é papel do Presidente combater as injustiças.

Em resposta o militar afirmou: “Temos aqui uma evangélica que defende o plebiscito do aborto e da maconha, e agora quer defender a mulher (…) eu defendo a mulher, inclusive a castração química para estupradores”. “Em relação a arma de fogo, defendo que a mulher, desde que queira e tenha preparo, possa ter uma arma para se defender”, pontuou.

Lamentando as afirmações de seu adversário, Marina Silva disse que o candidato acredita que tudo se resolve no grito e violência. “O que uma mãe mais quer é ver seu filho ser educado e se tornar um cidadão de bem e você fica ensinando para os jovens que as coisas se resolvem na base do grito. (…) um dia desses você pegou a mão de uma criança e ensinou como se faz para atirar”, disse.

Temas relacionados a economia brasileira pautaram a maior parte do debate de ontem. Questões acerca da saúde, educação e segurança pública foram superficialmente comentadas pelos candidatos, havendo pouquíssimas propostas apresentadas para esses segmentos.

Modelo de debate

“Por que o senhor(a) quer ser Presidente do Brasil?”. Essa foi a pergunta realizada na primeira parte do programa para todos os participantes. As candidaturas tiveram um total de 45 segundos para apresentar suas justificativas. Depois, receberam perguntas feitas pelo público, onde puderam esclarecer as principais dúvidas dos eleitores brasileiros. Na ocasião, cada um contou um total de um minuto.

Diferentemente do debate produzido pela Bandeirantes, dessa vez, ao serem questionados por outros candidatos, ou pelos próprios jornalistas presentes, ambos se dirigiam ao centro do palco e se posicionavam frente a frente para debaterem.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

pedro

To acompanhando tudo, Geraldo sem duvida é o que mostra ser o mais preparado! Vou de #Geraldo45