Mais de 15 mil pessoas passam por feirão do emprego em Goiânia

Ao meio dia, os profissionais já haviam atendido cerca de 6 mil. Evento visa divulgar vagas e capacitar trabalhadores

Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

Teve início, na manhã desta sexta-feira, 31, o Feirão do Emprego de 2019. O evento, organizado pelo Sistema Fecomércio/Sesc/Senac em parceria com o Sine — programa do Ministério da Economia — e a Prefeitura de Goiânia, foi aberto às 8 horas e se estenderá até às 17 horas. O encontro ocorre na Faculdade Senac no Campus Santa Genoveva.

A estimativa, segundo os organizadores, é de que mais de 15 mil pessoas passem pela faculdade em busca de emprego e cursos profissionalizantes. Ao meio dia, os profissionais já haviam atendido cerca de 6 mil pessoas.

“A pessoa que chega ao evento passa por uma trilha onde, primeiro, ela terá acesso a toda as informações sobre o Senac. Posteriormente, passam por uma palestra de como se comportar em uma entrevista de emprego. Quem não trouxe ou precisa melhorar o curriculo, nós fazemos todo o procedimento aqui mesmo; realizamos a impressão em três vias e disponibilizamos para que a pessoa seja encaminhada para uma entrevista”, ressaltou o diretor regional do Senac, Leopoldo Veiga Jardim.

Paralelo às mais de 3 mil vagas de emprego, o programa também oferece outras 2 mil vagas via programa “Senac de Gratuidade”. O programa é voltado à capacitação de pessoas. “São vagas em todas as áreas, tudo isso para que a pessoa saia daqui não só com a possibilidade de emprego, mas também com a capacitação ou habilitação técnica”, explica.

Para ele, “a falta de empregabilidade está relacionada a falta de capacitação das pessoas”. “Não adianta buscar uma posição de destaque no mercado se não for capacitado. Por isso, o evento foi pensado para mostrar essa importância aos nossos visitantes”. Leonardo ressalta que “mais importante que o indivíduo conseguir um emprego é permanecer nele”. Muitos tem vontade de trabalhar mas não tem a capacitação necessária então buscamos ligar uma coisa à outra”, pontua.

Por sua vez, secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec), Celso Camilo, reforçou a necessidade dos candidatos se aterem à importância das qualificações oferecidas na tarde desta sexta-feira, 31.

“Nem todas as vagas disponíveis são preenchidas e isso ocorre exatamente pela falta de qualificação. É interessante que as pessoas busquem mais informações e participem desses cursos que estamos oferecendo. Assim, muitos daqueles que não conseguirem uma oportunidade hoje poderão preencher futuramente essas vagas”, considerou.

Interessados

Aos 18 anos, Fábio Bruno de Souza busca seu primeiro emprego. “Moro em Trindade. Sai de lá às 6 horas para tentar conseguir um emprego pelo programa”. Ele, que é estudante do 3° período de administração de empresa, disse à reportagem que gostaria de encontrar uma oportunidade na área. “Cheguei cedo, enfrentei toda essa fila e tenho esperança de conseguir. Mas se não surgir nada na área, topo do mesmo jeito”. O jovem garante ter procurado incansavelmente uma oportunidade em Trindade, porém, sem sucesso.

Juliano Araújo também saiu em busca de uma oportunidade. Aos 30, ele diz estar desempregado há três anos. “Queria trabalhar como lavador de carros. Já tive experiência nessa área, mas desde então não encontro nada do tipo. Não descarto outras oportunidades. Tenho curso de porteiro, auxiliar de mecânico e operador de máquinas”, destaca o participante.

Araújo deixou seu currículo em todos os stands das empresas vinculadas ao programa e, agora, aguarda resposta. Enquanto isso, se prepara para encarar uma nova capacitação. “Vou aproveitar essa oportunidade para fazer um curso de corte de cabelo. Vejo que o movimento nas barbearias tem aumentado então resolvi apostar nisso”, destacou.

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Próximos Passos

Ao Jornal Opção, o presidente da Fecomércio, Marcelo Baiocchi, disse que a direção do evento estuda a realização de um encontro semelhante para o próximo semestre. “Porém, dessa vez, faremos um feirão específico para Pessoas com Deficiência (PCD)”.

Em justificativa, Baiocchi disparou: “Queremos encaixá-los no mercado de trabalho. Sabemos que a demanda é muito grande, portanto, a nossa ideia é realizar duas edições ao ano. A primeira delas ocorrerá no início do segundo semestre de 2019”, garantiu.

Para ele, a ideia é realizar uma edição voltada exclusivamente para este público. O presidente disse ainda que a ideia surgiu ao longo próprio evento. “Vimos hoje que são muitos os que precisam de uma oportunidade e resolvemos estender os inúmeros benefícios às pessoas nessas condições”, acrescentou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.