Mãe de menor atirador é ouvida pela Polícia Civil

Em entrevista, advogada de defesa afirmou que depoimento teria sido desnecessário

Foto: Mayara Carvalho/Jornal Opção

A mãe do adolescente de 14 anos que abriu fogo dentro da sala de aula em uma escola de Goiânia foi ouvida na tarde desta segunda-feira (30/10) pelo titular da Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai), Luiz Gonzaga.

A policial militar — a quem pertence a arma do crime — estava internada em uma clínica desde o dia do atentado, que deixou dois mortos e quatro adolescentes feridos, mas recebeu alta na última terça (24).

A mãe do adolescente chegou na sede da Depai, no Setor Cidade Jardim, por volta das 14 horas, e não quis falar com a imprensa. Segundo a defesa, apesar de ser “impossível estar tranquila” diante da situação, ela já teria saído do “estado de choque inicial”.

O depoimento estava agendado para a última semana, mas acabou adiado. Em entrevista à imprensa, a advogada da família do menor atirador afirmou que a oitiva se faz desnecessária, uma vez que a policial já foi ouvida pela Justiça.

“O processo já está instaurado e ela já foi ouvida pelo Judiciário, ou seja, todas as perguntas que a juíza, que é quem vai julgar o caso tinha em interesse em fazer já foram feitas”, explicou.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.