Levy considera cortes “adequados” e diz que Orçamento não tinha “conexão” com a realidade

Para o ministro da Fazenda, medidas anunciadas na última sexta-feira (22/5) vêm para garantir equilíbrio às contas do governo

Ministro Joaquim Levy elogia cortes do governo | Foto: Marcelo Camargo / ABr

Ministro Joaquim Levy elogia cortes do governo | Foto: Marcelo Camargo / ABr

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, destacou, nesta segunda-feira (25/5), a importância dos cortes anunciados pelo governo federal na última semana. De acordo com o economista, o contingenciamento de quase 70 bilhões de reais se faz necessário devido a um problema de “arrecadação”.

Levy admitiu que as receitas previstas na Lei Orçamentária de 2015 — aprovada no mês passado —  não têm conexão com a realidade. “Como as receitas não estão nem próximas daquilo que está previsto no Orçamento aprovado no mês passado, por várias razões, faz-­se necessário que, onde o governo pode, tenha cortado”, justificou.

Segundo o ministro, os ajustes também ocorrem por causa de débitos gerados pelos programas de refinanciamento de dívidas tributárias (Refis), que não atenderam às expectativas previstas.

“Nos últimos anos, a arrecadação sistematicamente não tem atendido às necessidades do governo. O governo tem apelado para receitas extraordinárias, de programas como Refis, outras coisas. Ao mesmo tempo, houve as desonerações. Precisamos de ter uma situação um pouco mais equilibrada: o que a gente está tendo este ano, não gera receita. As receitas não têm sido muito significativas”, completou ele.

Levy, que não compareceu ao anúncio oficial dos cortes na última sexta-feira (22/5), disse que o contingenciamento “é apenas uma parte das políticas que estão sendo postas em prática”. “É uma parte importante e outras são mais estruturais e tem que ver com o realinhamento de preços, com atividades de concessões e vamos ver como a gente reorganiza o financiamento de longo prazo, agora que acabou o dinheiro, pois antes havia aquele modelo mais baseado em recursos públicos”, finalizou ele.

*Com informações da Agência Brasil

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.