O cultivo de ervilhas tortas tem se tornado uma alternativa rentável para a agricultura familiar em Munhoz, no Sul de Minas. A leguminosa é originária do Oriente Médio, gosta de temperaturas amenas, mas se adaptou bem em todo o Brasil. Da mesma família do feijão e da soja (fabáceas), tem se destacado na produção familiar ser uma planta rústica e de baixo custo.

Em Munhoz, por exemplo, agricultores familiares produzem cerca de 180 hectares por ano. Um deles é o André Francisco das Chagas que, há mais de 12 anos, trabalha com a hortaliça. “Foi dando certo e, hoje, é minha principal produção. Eu gosto de fazer o que eu faço, chegar na lavoura bem cuidada, sadia, é um dom de Deus”, disse.

De acordo com o técnico local da Emater-MG, Juary José Moreira, os produtores conseguem colher a leguminosa o ano inteiro. “Aqui são regiões altas e a ervilha gosta das temperaturas mais amenas, abaixo de 23 graus. Então se consegue produzir durante todo o ano e o mercado principal é a grande São Paulo”, explica.

A Ervilha Torta também é conhecida como Ervilha de Cavaca, Ervilha Tsuruga ou Ervilha Torta de Flor Roxa. Trata-se de uma planta de porte indeterminado, com vagens largas, achatadas e suculentas. Diferentemente da comum, a ervilha-torta não é debulhada, mas sim consumida com a vagem. Além disso, trata-se de uma ervilha mais rústica que “aguenta bem o ‘batidão’ fora das estufas”.

A colheita se dá com as vagens ainda em processo de maturação, com os grãos em desenvolvimento. O comprimento pode variar de 12 a 15 cm, apresentando coloração verde-clara. Assim como o feijão, a ervilha é rica em proteínas, além de ser fonte de fibras que auxiliam no bom funcionamento intestinal, vitaminas A, B e C, e minerais, como cálcio, ferro, fósforo e potássio.

Desvantagens

Como nem tudo são flores, o cultivo também oferece desafios. André Francisco conta que o período das chuvas é mais propício para o desenvolvimento de doenças, o que força um uso mais intensivo de defensivos agrícolas.

Outra dificuldade é a necessidade de irrigação. “É uma cultura bastante sensível à falta de água, em escassez hídrica ela corta a produção”, explica Juary Moreira. Uma das características da produção no município é o arrendamento de terras. A maior parte dos agricultores não têm terra, então acaba “arrendando” de terceiros para poder produzir. “Além disso, pela necessidade de fazer rodízio de culturas, com objetivo de evitar a infestação por doenças, o produtor torna-se nômade, mudando toda hora de lugar”.

O cultivo da ervilha torta pede o investimento na preparação do solo, com aração, calagem e adubação rica em fósforo. À medida que a planta cresce, ela deve ser conduzida por fitilhos, até chegar à altura de um 1,5 metro a 1,8 metro de altura, quando atinge seu pico de desenvolvimento. O ciclo da planta, conforme Juary Moreira, gira em torno de dois a dois meses e meio, ou seja, a colheita é possível em cerca de 45 dias.

Dicas para o Plantio

  • Solo Adequado: Certifique-se de plantar em solo bem drenado, rico em matéria orgânica. A ervilha torta prospera em solos leves e férteis. Ela pode ser plantada o ano todo e produz muito, exigindo boa insolação e pouca rega (uma vez por semana sem encharcar já é suficiente).
  • Espaçamento: Dê espaço adequado entre as plantas para permitir um bom desenvolvimento. O espaçamento ideal pode variar, mas geralmente, deixar alguns centímetros entre cada planta é uma boa prática.
  • Suporte Vertical: Ervilhas tortas geralmente crescem verticalmente. Forneça algum tipo de suporte, como treliças ou cercas, para que as plantas possam se agarrar enquanto crescem.
  • Clima e Temperatura: Plante as sementes em um local que receba boa luz solar. Ervilhas gostam de climas mais frescos, então evite o plantio durante os meses mais quentes.
  • Rega Adequada: Mantenha o solo uniformemente úmido, especialmente durante o período de crescimento ativo. Evite o encharcamento, pois as raízes de ervilhas não gostam de solo excessivamente úmido. Durante o período de chuva não é necessário regar.
  • Colheita no Momento Certo: Colha as vagens antes que elas sequem completamente. As ervilhas tortas são consumidas em forma de vagem ou podem fornecer grãos de ervilha, que devem ser colhidos antes da vagem secar. A colheita é abundante e deve ser feita com todo o cuidado com o uso de uma pequena tesoura de ponta bem afiada de modo a não machucar as plantas.
  • Cultivo em Pequenos Espaços: Ervilhas tortas são adequadas para o cultivo em pequenos espaços e até mesmo em vasos grandes. Certifique-se de fornecer o suporte necessário, mesmo em recipientes.

*Com informações da Rádio Itatiaia