Kajuru diz que não abre mão da relatoria da CEI da Herança

Vereador pelo PRP é o propositor da Comissão Especial de Inquérito que irá auditar contas das gestões do PT e do PMDB

Vereador Jorge Kajuru durante sessão na Câmara | Foto: Fernando Leite

O vereador Jorge Kajuru (PRP) afirmou ao Jornal Opção que não abre mão de ser o relator da Comissão Especial de Inquérito que irá investigar os oito anos da gestão PT-PMDB em Goiânia, que deve ser instalada nos próximos dias.

“Sou o único que tem a independência necessária para o cargo. Não tenho interesse em defender Iris Rezende (PMDB) e muito menos Paulo Garcia (PT). Podem escolher o presidente, mas faço questão da relatoria”, explicou.

Apelidada de CEI da Herança, a propositura tinha como objetivo inicial apurar pontos controversos da última gestão da capital, como um suposto déficit de R$ 30 milhões/mês, com gastos 30% superiores à arrecadação; a necessidade de auditoria em contas, gastos, contratos e licitações, especialmente da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg); áreas públicas vendidas e cedidas; desvios na merenda escolar; e relações “espúrias” com o setor imobiliário.

No entanto, a partir de uma sugestão do oposicionista Elias Vaz (PSB), Kajuru — que é o autor — aceitou acrescentar o último ano da gestão PMDB, de forma a aferir qual foi a situação real deixada por Iris Rezende em 2010 — quando abandonou a prefeitura para disputar o governo de Goiás.

Ao todo, 12 vereadores disputam as seis vagas titulares na comissão especial de inquérito. Clécio Alves (PMDB), Elias Vaz e Zander Fábio (PEN) são os mais cotados para a presidência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.