Justiça Federal prorroga prisão temporária de primo de Marcelo Miranda

Isso, porque, segundo a Polícia Federal, ele teria criado obstáculos para a apuração dos fatos investigados

Luciano Carvalho Rocha, primo de Marcelo Miranda | Foto: Reprodução

A prisão temporária de Luciano de Carvalho Rocha, primo do ex-governador do Tocantins Marcelo Miranda, foi prorrogada pela Justiça Federal por mais três dias. Isso, porque, segundo a Polícia Federal, ele teria criado obstáculos para a apuração dos fatos investigados pela Operação Urutau.

A investigação foi deflagrada na terça-feira, 1º, e Rocha é um dos alvos, junto a seu primo Marcelo Miranda. A operação apura desvios de recursos públicos e lavagem de dinheiro, que teriam ocorrido durante a gestão do ex-governador, que também está preso. A PF suspeita que o primo, como outros presos, teria sido usado como laranja do emedebista.

Além do primo, no mesmo dia foram presos a esposa dele, Kamile Oliveira Salles, e Guilherme Costa de Oliveira, suposto preposto de Marcelo Miranda, na terça-feira 1º. Entretanto, ambos foram liberados por terem colaborado com as investigações.

A Operação Urutau aprofunda investigações da Operação Reis do Gado, que prendeu, na semana passada, Marcelo Miranda, seu irmão Britto Júnior e seu pai, Brito Miranda, que foi liberado por conta da idade. Eles são acusados de participar de uma organização que desviava dinheiros de contratos por meio de laranjas e testas de ferro, feitos, supostamente, por meio das construtoras WTE Engenharia e Construarte.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.