Justiça determina recuperação de área desmatada para cultivo de soja e cana-de-açúcar

Empresa agropecuária cortou as árvores da região e acarretou o desaparecimento da Lagoa dos Paturis, em Maurilândia

Ação proposta pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) resultou na condenação da empresa agropecuária Fronteira S/A por desmatar área de preservação para plantio de soja e cana-de-açúcar. A prática teria acarretado o desaparecimento da lagoa e a poluição da nascente.

A sentença do juiz substituto da comarca de Maurilândia, Paulo Roberto Paludo, determina a recuperação de toda a área. Ao analisar fotografias e laudo pericial, o juiz concluiu que “o evento danoso é incontroverso”.

A defesa da empresa Fronteira S/A alegou que a lagoa não existia de verdade, sendo, apenas, uma depressão do terreno onde acumulava a água da chuva.

Deixe um comentário