Em nova condenação, justiça fixa mais 4 anos de prisão para João de Deus

Ele também deve pagar à vítima indenização por danos morais no valor de R$ 20 mil. João de Deus era médium e atuava na cidade de Abadiânia

João Teixeira de Faria, mais conhecido como João de Deus, foi condenado nesta segunda-feira, 31, a mais quatro anos de reclusão por crime de violação sexual mediante fraude. Ele também deverá pagar à vítima indenização por danos morais no valor de R$ 20 mil. A justiça concedeu a ele o direito de recorrer em liberdade, porém, João Teixeira de Faria permanecerá em prisão domiciliar em razão de outro processo, por determinação do Tribunal de Justiça de Goiás.

O crime, do qual foi vítima uma mulher, aconteceu no mês de agosto de 2018. Essa é a quarta condenação de João Teixeira de Faria por crimes sexuais. Ele já foi condenado a 19 anos e quatro meses de reclusão em processo envolvendo quatro vítimas; a mais 40 anos de reclusão (cinco vítimas) e a dois anos e seis meses de reclusão (um vítima), além de uma condenação por crime de posse irregular de arma de fogo e de posse ilegal de arma de fogo de uso restrito, a três anos de reclusão.

João de Deus era médium e atuava na cidade de Abadiânia, Estado de Goiás, tendo ainda realizado excursões internacionais por países como Peru, Alemanha, Estados Unidos, Grécia, Suíça, Áustria, dentre outros. Em 2018, João foi denunciado por abuso sexual de mais de trezentas mulheres que buscaram a ajuda dele. Em 14 de dezembro do mesmo ano, João teve o pedido de prisão preventiva decretado pela justiça de Goiás por abuso sexual de centenas de mulheres.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.