João Campos confirma que estará na disputa pelo Senado em 2022

Questionado sobre as possíveis alianças em relação à disputa para a governadoria do Estado, o federal considerou, inclusive, a possibilidade do Republicanos voltar a compor com os emedebistas

João Campos | Foto: Jornal Opção

O deputado federal João Campos (Republicanos) confirmou sua participação na disputa eleitoral de 2022. Dessa vez, o atual deputado federal buscará uma cadeira no Senado — especula-se nos bastidores, que a cadeira deixada por Campos na Câmara poderá ser pleiteada pelo deputado estadual, Jeferson Rodrigues. Segundo o federal, o partido político teria realizado um estudo para dosar uma espécie de ‘viabilidade técnica’ antes da decisão de lança-lo candidato.

“O partido, a nível nacional, estabeleceu as metas para 2022. Para a Câmara [a meta] é eleger 51 deputados. Na oportunidade, aproveitamos para falar sobre o Senado também, já que o partido hoje é grande, mas sempre foi subrepresentado no Senado Federal. Então chegou o momento de ter uma representação também no Senado. Fizemos um levantamento em todos os Estado para sabermos onde teríamos nomes com representatividade para tal. Dentre eles, Goiás foi classificado como um Estado viável para uma possível candidatura com meu nome. Essa já é uma decisão do partido a nível nacional. Estamos à disposição e vamos trabalhar nessa direção”, declarou em entrevista.

Executivo

Questionado sobre as possíveis alianças em relação à disputa para a governadoria do Estado, disparou: “Enquanto não tivermos nomes postos para a disputa a governador, não há porque nos adiantarmos quanto a esse processo. Mas o nosso ânimo é o de dialogar com todas as forças.

No entanto, um dos principais cotados para a disputa é o presidente estadual do MDB, Daniel Vilela. Acontece que o partido encabeçado por Daniel resolveu, recentemente, desembarcar todos os seus membros da administração municipal por não concordarem com a maneira com que Rogério Cruz tem conduzido o Executivo goianiense.

Sobre uma possível composição do partido com Daniel e, consequentemente, com o time emedebista, o federal destacou, ainda assim, não ver dificuldades. “O partido não expulsou agentes políticos do MDB que ocupavam secretarias na gestão municipal, não os expulsamos da administração. Eles é que tomaram a atitude de deixar o governo e nós respeitamos isso. Como a iniciativa [de retirar o time de campo] foi dos integrantes do MDB, da nossa parte não há dificuldade em retomar diálogo e se houver conveniência de composição, compor”, pontou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.